O causo do velho que queria ser muito macho

Por Daniel Rocha

Um velho já chegado nas idades não queria dar o braço a torcer ao tempo, gostava de se comportar como um  jovem ativo e forte. Por isso mesmo diante do vento frio oriundo da mata  que acuava os moradores da roça do “Bomtequando” ele se recusava a usar agasalho para enfrentar o inverno.

O velho era tão teimoso e metido a durão que também se negava a  ficar próximo à fogueira que aquecia o pessoal  durante a noite gélida que tomava as típicas casas de taipa e barro batido da maioria dos moradores do lugar.

Tanto que na hora de dormir a neta mais velha com carinho e cuidado se mostrou disposta enfeitar a cama de ripa do velho, tipo uma mesa forrada com a esteira de palha, para que ele pudesse ficar agasalhado para enfrentar o tempo frio. Porém o velho deu uma de durão e não aceitou agasalhos e nem demonstrou interesse na bondade da menina. Para provar que era muito macho disse que ao invés de cobertores preferia que jogassem água na cama, insinuando sentir calor.

Conta o causo que a neta o fez para tirar a mania do velho avô que durante a noite diante de um forte vento invernal “cozinhado na mata” entrou para “ver doer ” na costela do velho teimoso que bateu queixo de tanto frio.

Dando uma de machão e querendo não chamar por ninguém, o senhor teimoso se levantou e recordou que ao lado da casa onde dormia ficava um monte de “bages secas” de feijão, separado durante o dia. Sem saída se meteu entre essas bages buscando agasalho. Pela manhã bem cedo o velho não acordou com o sol e o pessoal não deu pela sua falta e colocou fogo nas bages, foi então que o velho gritou por socorro e foi retirado com algumas feridas e queimaduras, diante do fato comentou então a neta: – Isso que dar querer ser muito macho.

Assim contava em volta da fogueira os antigos moradores na roça do “Bomtequando” (bom até quando) na zona rural do município de Alcobaça, hoje Teixeira de Freitas, provavelmente na década de 1930. O causo foi registrado em uma roda de conversa do programa de alfabetização de idosos, o TOPA- Todos pela educação em 18/05/12.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *