Especial Teixeira de Freitas 30 anos: Trinta curiosidades

Por ( Daniel Rocha e Domingos Cajueiro Correia)

01 – O córrego da Charqueada já foi conhecido como córrego da Preguiça. Tinha esse nome porque havia muitos, bicho-preguiça em suas margens.

02 –  O primeiro cemitério da cidade de Teixeira de Freitas ficava na Avenida Afonso Pena, com a expansão do povoado ,foi soterrado e  loteado. Hoje, boa parte do  centro está sobre os ossos dos moradores pioneiros.

03 – Na década de 1940 não havia estradas oficiais  interligando esta parte da Bahia com nenhuma outra cidade. A única saída era navegar   pelo Rio Itanhém. Os moradores também enfrentavam, em trilhas por entre a mata, as dificuldades de uma longa viagem em lombos de animais.

04 – Na década de 1960, moradores tiveram que ceder parte de suas terras para a passagem da BR- 101. Isael de Freitas Correia  cedeu do Ipiranga até a ponte sobre o Rio Itanhém, sem ganhar um centavo.

05 – A avenida Antônio Carlos Magalhães foi aberta para o pouso de aviões, em 1971, em razão da visita do Governador ACM ao povoado de Teixeira de Freitas.

06  – Em 1977 o povoado de Teixeira de Freitas tinha 40 mil  habitantes. Não tinha rede de esgoto, água encanada  nem pavimentação  asfáltica e era  oito vezes maior que a sede, Alcobaça, na época com  5 mil habitantes.

07 – Na década de 1950 o distrito de Duque de Caxias era conhecido como Arriba-Saia e  foi mais desenvolvido do que o povoado de Teixeira de Freitas.

08 – Em 1979 , o povoado de Teixeira de Freitas  tinha  13 igrejas evangélicas , 07 igrejas católicas e  200 bares .

09 – O primeiro cinema da cidade, Cine Elisabete, funcionava com gerador elétrico até 1972. O  público era obrigado voltar para ver o resto do filme no outro dia devido à queda constante de energia.

10 – Luiz Gonzaga, o “ Rei do Baião”, se apresentou em Teixeira de Freitas  na década de 1960, no cine Elisabete. Segundo o ilustre Militão Guerra ( em memória), o “Rei do baião” profetizou que Teixeira estava condenada a ser uma grande cidade no futuro.

11 – A primeira feira da cidade  foi organizada na Praça dos Leões, depois foi transferida para Praça da Bíblia, antes de ocupar a área do atual “Mercadão”. Já o mercado municipal foi construído depois que um incêndio  criminoso acabou com a feira conhecida como Pausoeira, na década de 1980.

12 – Na primeira feira da Praça dos Leões , só era vendido, farinha de mandioca, beiju de tapioca, dendê, feijão, milho e carne de sol. Não era vendido  nem um tipo de verdura e era realizada aos domingos.

13 – Em 1968  um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB ) sobrevoou  toda extensão do rio Itanhém pedindo, através de auto – falantes, para os ribeirinhos saírem das margens do rio porque  outra  grande quantidade de água,  que  já havia destruído Medeiros Neto, estava por vir.

14 – O  Trenzinho  da Alegria foi o primeiro ‘transporte coletivo da cidade’.Transitava todo domingo levando e trazendo pessoas do centro ao trevo. Um bonde  puxado  por um Jipe, com luzes e  sininhos coloridos.

15 – Na década de 1960, a rua Princesa Isabel até a esquina da Casa Barbosa era  iluminada por  lampiões de querosene colocados   no alto do  postes de madeira. A meia noite os  lampiões eram retirados para não serem furtados.

16 – Em 1984, houve a maior manifestação popular de Teixeira de Freitas a favor das diretas já e o fim da Ditadura Militar. A manifestação foi organizada pelo   Sindicato dos Empregados  do Comércio (Sindec) de Teixeira de Freitas.

17 – A Vila Vargas,  bairro, recebeu em nome porque foi um povoado fundado na Era Vargas, em homenagem ao presidente Getúlio Vargas, que visitou a cidade de Caravelas na década de 1940.

18 – O bairro Monte Castelo  foi planejado para ser o centro da cidade e recebeu esse nome em homenagem ao pracinha,soldados, José Bernardo de Almeida ,da  fazenda Cascata, que serviu ao exército durante a Segunda Guerra Mundial.

19 – 1986, atores da novela “Roque Santeiro”  vieram a Teixeira de Freitas para uma partida amistosa de futebol  contra o time da casa.

20 – Assim que assumiu a prefeitura, o primeiro prefeito eleito da cidade,Timóteo, teve que sair as ruas em busca de doações de todo tipo porque a administração da sede Alcobaça ,levou tudo que a cidade tinha, do carrinho de mão ao maquinário.

21 – Na primeira eleição para prefeito, o Exército teve que ser convocado para controlar os ânimos exaltados dos eleitores e partidários.

22 – No Fundo do Clube Jacarandá havia uma represa que foi implodida em 1991, porque havia suspeitas de ser lugar de desova de corpos. Reza a lenda que diversos restos mortais foram encontrados no lugar.

23 – Antes da formação do povoado, cerimônias de casamentos e batizados eram realizados em capelas das fazendas Cascata, Nova América e Araras entre outras.

24 – Em 1998 havia apenas três unidades básicas de saúde na cidade: Posto de saúde Teixeirinha, Posto de saúde São Lourenço e o Centro de Saúde Mãe Maria; hoje são mais de 35.

25 – Em 1994, Teixeira de Freitas e a cidade de Eunápolis foram considerados os maiores produtores de mamão do mundo, sendo ,inclusive, reportagem da revista “Globo Rural”.

26 – Em 1990, Adriana Esteves, Marcos Rica e Fábio Assunção vieram a cidade fazer presença vip em uma festa, levaram o calote, ficaram sem dinheiro e voltaram para o Rio de Janeiro de carona em um táxi aéreo.

27 –  O monumento no centro da Praça dos Leões,   lembra “A Pedra do Rei,” inspirado no desenho animado o Rei Leão (1994). Enquanto só uma tímida placa registra a importância do lugar como marco zero da cidade.

28 –   Na década de 1970 a presença da madeira nos costumes da região era de tal forma marcante que era comum encontrar bares, farmácias e outros estabelecimentos com os nomes de Jacarandá e Pau-brasil.

29 – Em 2003 ocorreu uma das maiores rebeliões do Conjunto Penal de Teixeira de Freitas, os 256 presos reivindicavam uma sala para visita íntima , televisão e revisão de penas.

30 – O eleitorado Teixeirense disse sim a proibição do comércio de armas de fogo e munição no Brasil no plebiscito realizado no ano de 2005. Do total dos votos válidos, 26.164 disseram sim e 23.961 não.

Daniel Rocha

Contato:

tirabanha@tirabanha.com.br

(73) 8128-7315

Face

 

Fontes:

01 –Entrevista feita  por Domingos Cajueiro Correa, Valfrido de Freitas Correia. 2014.

02 – FERREIRA,Susana. A vida privada de negros pioneiros no povoamento de Teixeira de Freitas na década de 1960. Uneb campus-x. Teixeira de Freitas BA, 2010.

03 – Jornal Alerta.Especial de aniversário: 24 anos de Teixeira de Freitas. 2009

04 – FERREIRA,Susana. A vida privada de negros pioneiros no povoamento de Teixeira de Freitas na década de 1960. Uneb campus-x. Teixeira de Freitas BA, 2010.

05 – Jornal Alerta.Especial de aniversário: 29 anos de Teixeira de Freitas. 2014.

06 – ROCHA. Daniel; OLIVEIRA. Danilo. Cinema – Contribuições no Processo de Formação da Sociedade de Teixeira de Freitas nos anos de 1960, 1970 e 1980. UNEB, Campus X – Teixeira de Freitas – B

07 – HOOIJ, Frei Elias. Os desbravadores do Extremo sul da Bahia. História da presença franciscana nessa região – raízes e frutos, Belo Horizonte, 2011.

08  – HOOIJ, Frei Elias. Os desbravadores do Extremo sul da Bahia. História da presença franciscana nessa região – raízes e frutos, Belo Horizonte, 2011.

09 – ROCHA. Daniel; OLIVEIRA. Danilo. Cinema – Contribuições no Processo de Formação da Sociedade de Teixeira de Freitas nos anos de 1960, 1970 e 1980. UNEB, Campus X – Teixeira de Freitas – BA.

10 – Jornal Alerta.Especial de aniversário: 29 anos de Teixeira de Freitas. 2014.

11 – FERREIRA,Susana. A vida privada de negros pioneiros no povoamento de Teixeira de Freitas na década de 1960. Uneb campus-x. Teixeira de Freitas BA, 2010.

SANTOS, Alzinete Ferreira; MAIA,Talita Alves. A FEIRA LIVRE, UM OLHAR PARA A CIDADE DE TEIXEIRA DE FREITAS-1960 a 2009. UNEB-X 2010.

12 – Pesquisa realizada pelo colaborador Domingos Cajueiro Correia.

13 – Desabrigo e morte já alcançaram a Bahia. O estado de São Paulo, São Paulo, 19 de Dezembro.1968.P.10.

14 – BANCO DO NORDESTE, As origens. Teixeira de Freitas, Fortaleza – Ceará. P.05-07, Janeiro 1986.

Relatos orais de Domingos Cajueiro Correia.

15 – Jornal Alerta.Especial de aniversário: 29 anos de Teixeira de Freitas. 2014.

16 – www.sindectf.org.br

17 – RALILLE, Benedito Pereira; SOUZA, Carlos Benedito de.; SOUZA, Scheila Franca de.Relatos históricos de Caravelas: (desde o século XVI). Caravelas, BA: Fundação Professor  Benedito Ralille, 2006.

18 – Relatos orais de José Sérgio da Fazenda Cascata. 2013.

19 – Relatos orais de Lília do Carmo, 2015. Marcos Marcelo, 2013.

20 – HOOIJ, Frei Elias. Os desbravadores do Extremo sul da Bahia. História da presença franciscana nessa região – raízes e frutos, Belo Horizonte, 2011.

21 – GUERRA, Jaison C. Pereira; SILVA. Leonardo Santos. O processo de emancipação política de Teixeira de Freitas (1972-1985). UNEB 2010.

22 – Relatos orais de Valdivio Silva Matos, Domingos Cajueiro Correia. Recordações.

23 – HOOIJ, Frei Elias. Os desbravadores do Extremo sul da Bahia. História da presença franciscana nessa região – raízes e frutos, Belo Horizonte, 2011.

Relatos orais colhido por Domingos Cajueiro Correia.

24 – DE PAULA, Margarete Inês Portela. Gestão de Saúde: aspectos conceituais e historicos. Revista Mosaicum, 2009.

25 – Com sabor da Bahia. Globo Rural,1994.

26 – Recordações e relatos orais.

27 –  Observação e dedução de Daniel Rocha da Silva.

28 – Revista Veja. 1978.

29 – Jornal ,O Estado de São Paulo. 16/11/03.

30  – www.tse.jus.br/eleicoes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *