Urgências

 

 

Precisa-se desesperadamente

De um céu azul

De uma flor em botão

De um lago sereno

De um por do sol dourado.

 

Ainda em desespero, precisa-se,

De uma borboleta amarela

Daquelas bem bisbilhoteiras.

De uma música seresteira

E de um olhar galanteador.

 

Precisa-se muito de tudo isso

Para amarrar-se ao mundo

E do topo gritar:

– Disso tudo que preciso,

Eu quero mesmo é amar!

 

Cássia Diaz Oz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *