Por (Daniel Rocha)

Para muitos como eu o verdadeiro Superman do cinema é, e sempre será , o de Christophe Reeve que em três oportunidades, Superman: O filme, 1978, Superman II: A Aventura Continua 1980, Superman III, 1983, Superman IV: Em Busca da Paz, 1988, incarnou o herói kryptoniano na tela grande definitivamente.

Para muitos como eu o verdadeiro Superman do cinema é, e sempre será , o de Christophe Reeve que em três oportunidades, Superman: O filme, 1978, Superman II: A Aventura Continua 1980, Superman III, 1983, Superman IV: Em Busca da Paz, 1988, encarnou o herói kryptoniano na tela grande definitivamente.

Pena que diferente do personagem que interpretou Reeves não era imortal, tetraplégico, partiu para a eternidade em 2004 vítima de um infarto. 

Após a morte do ator a sensação que ficou é que não haveria outro tão perfeito para dar vida ao ícone do universo DC. As suspeitas foram confirmadas com os últimos lançamentos do herói no cinema. 

Os atores Brandon Routh, Superman Returns, 2006, Henry Cavill,O Homem de Aço, 2013, apesar do bom trabalho, não conseguiram expressar a mesma  leveza que o ator pioneiro imprimiu ao homem da capa vermelha. 

Mas graças aos recursos de computação gráfica hoje é possível matar a vontade de ver o eterno Superman em ação novamente confrontando o mais forte e destruidor dos heróis da Marvel, o Incrível Hulk, em curtas de computação gráfica denominado Superman vs Hulk – The Fight.

A série de curtas que estão divididos em quatro partes disponíveis, até o momento, no Youtube. O “fan filme”,  que resgata a magia do primeiro super no cinema, foi produzido pelo animador Mike Habjan que heroicamente tocou o trabalho sozinho e com os próprios  recursos.

Para quem nunca ouviu falar, os  fãs filmes ,ou como são mais conhecidos: fan films, são produções amadoras e independentes onde os fãs de séries, animes e filmes, criam uma adaptação ou sequência de um filme ou personagens por eles cultuados, da forma que desejam ver adaptados.

Para  ter uma ideia da qualidade do fan filme  de Mike, a reconstrução em computação gráfica do Superman que ele fez tem as mesmas expressões faciais criada por  Christophe Lee nos primeiros filmes do herói. 

Já nas cenas de luta  com o Hulk , lindamente desenhadas, é possível ter uma mostra de como o encontro dos dois no cinema renderia o  filme mais quebra pau da história dos filmes de heróis. 

Porém,  falta aos curtas uma cena para  humanizar o personagem, tal como o diretor Richard Donner conseguia  nos primeiros filmes do herói. 

Tipo, deixar o Super digital realizar alguma boa ação, tipo: parar a quebradeira por alguns  minutos para salvar um gatinho na árvore ou uma criança em apuros.

Confira nos links abaixo:

 Parte 01

Parte  02

Parte 03

Parte  04

Compartilhar: