Comidas típicas em Teixeira de Freitas – Farinha com Dendê

Por Daniel Rocha

No Extremo sul da Bahia até meados do século XX transformações ocorreram  com a abertura de novas estradas, surgimento de pequenos núcleos urbanos e a migração dos  trabalhadores do campo para cidades.

Foi a partir da década de 1950 que se deu a construção da estrutura capitalista que promoveu a exploração da madeira, agroindústria e a monocultura do eucalipto que duas décadas depois dominou economicamente a região, produtora de primários como cacau, café, milho e mandioca.

Antes e durante esse processo, à raiz de mandioca foi um dos principais cultivos desta região que produzia em tendas rústicas produtos derivados como o beiju e a farinha.

A produção buscava atender a demandas do comércio e o consumo das famílias rurais. A farinha era tão importante que a falta era sinônimo de fome, relatou Benedito libânio, 72 anos, que morou na fazenda Caraípe em período de seca  na  década de 1950.

“Devido a falta de chuva o Rio Itanhém ficou parecendo um córrego. Dava para pular de um lado para o outro. A gente comia carne com banana porque a seca atrapalhou o cultivo da mandioca, todo mundo ficou sem a farinha.”

O aposentado Jair Nascimento,74 anos, natural da fazenda Nova América onde morou até 1960, diz que a farinha, cuja falta se fazia sentir, era importante por ser à base de pratos tradicionais apreciados por moradores da zona rural de Teixeira de Freitas que estava em formação.

Revela que tal como a farinha, um fruto do bioma atlântico, o dendê, gozava de prestígio entre os moradores da fazenda porque era um ingrediente essencial para o preparo típico que definiu como nativo: o bambá de dendê.

Na perspectiva do antigo morador a origem do bambá remota as antigas comunidades negras da região como a  Fazenda Santa Maria, Conceição, Japira, Araras e  fazenda Nova América onde nasceu e foi criado.

“A farofa bambá é coisa nativa da terra, coisa de gente da África, gente preta… Pode ver que não tinha dendê nas fazendas de gente branca era mais entre os negros. Ainda hoje é assim, vai às fazendas antigas como Canta Galo, Apaga Fogo, Arara que você vai encontrar o bambá. Lá ainda se faz farinha da boa.”

Sublinha Jair Nascimento que lembra o nome dos pratos típicos apreciados feitos com a farinha de mandioca como o “pirão de água, pirão de leite, pirão de mulher parida, de peixe e de torresmo, todos levam farinha na composição”. Em seguida descreveu:

“A receita do bambá é simples, basta esquentar a borra, sedimento do azeite de dendê, em uma panela ou tacho, adicionar muito coentro, cebola e sal. Por último vir com a farinha de mandioca e misturar com o caldo de dendê quente, até render uma farofa de coloração amarela ,muito saborosa, que pode ser servida com peixe e carne de caça.”

Sobre a farofa bambá destaca Maria José da Silva, 86, natural da Fazenda Arara,mãe de 12 filhos, que o prato era muito apreciado por adultos e crianças e que a farinha era essencial para o sustento das famílias numerosas. “Uma saca era pouca por Mês.”

É importante lembrar que os entrevistados são afrodescendentes filhos de famílias que contribuíram para formação da cidade de Teixeira de Freitas chamada também, no processo de formação, de Comercinho dos Pretos, Mandiocal, Tira-banha.

Mas o que aconteceu com o bambá? Por que não é mais comum as mesas da cidade? A popularidade das refeições prontas e padronizadas vem distanciando a geração do presente da cozinha e das referências culturais do passado? Já não é hora de salvaguardar as tradições e expressões de vida herdados da população rural do município? Qual sua opinião sobre isso?

 

Bibliografia e referências

KOOPMANS. Padre JoséAlém do Eucalipto: O papel do Extremo Sul. 2005.

FERREIRA, Susana. A vida privada de negros pioneiros no povoamento de Teixeira de Freitas na década de 1960. Uneb campus- x. Teixeira de Freitas BA, 2010.

Fontes Orais:

Bate -Papo informal com Maria José da Silva. Março de 2014.

———————– Jair Nascimento de Fretias . Junho de 2015.

Relato do senhor Benedito Libânio foi extraído do texto  O Rio Itanhém: Parte 05

Levantamento realizado por Domingos Cajueiro Correia. Março de 2014.

Imagem: Meramente ilustrativa. Fonte : Google imagens.

 

Veja também: 

 Comidas típicas em Teixeira de Freitas parte 01

Comidas típicas em Teixeira de Freitas parte 02

Comidas típicas em Teixeira de Freitas parte 03

O causo da Rua do Brega: Parte 01

O Saneamento Básico na História de Teixeira de Freitas parte 1

O causo do Batizado

O causo do vinho em Helvécia

Futebol em Teixeira de Freitas: Parte 01.

 

One thought on “Comidas típicas em Teixeira de Freitas – Farinha com Dendê”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *