Fim de tarde

No poente,

o sol alaranjado

anuncia o fim da tarde.

Na mesa, o chá e o pão,

os sabiás se despedem do dia,

as andorinhas buscam

o refúgio da noite,

enquanto na igreja,

badalam os sinos.

Lá fora, jovens retornam da escola…

Na instabilidade das horas,

na impermanência do tempo,

que futuro os aguardam!?

Erivan Augusto Santana

Veja também: 

O ensaio de Maitê

2 thoughts on “Fim de tarde”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *