Juízo final

Seguem os senhores da guerra
construindo muros entre
pessoas, povos e nações,
destituindo direitos
de indefesos presos
à lei do mais forte,
na sombria selva do capital.
Eis que virá o dia então,
em que o mais corajoso
dentre os valentes fugirá nu
naquele dia, oráculo de Javé,
e a estrela d’alva aguardará
triunfante o sol nascer
para entregar um novo
e promissor amanhecer!

Erivan Augusto Santana

 

 

Veja também: 

A carta

Fim de tarde

O ensaio de Maitê

 Imagem: “A liberdade guiando o povo” (Eugene Delacroix)

2 thoughts on “Juízo final”

  1. Pingback: Tirabanha -

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *