Caravelas 1888: um Elixir foi usado no combate a sífilis

Por Daniel Rocha

Do final do século XIX ao início do século XX remédios à base de infusões de ervas e folhas, produzidos e comercializado por boticários e pequenos farmacêuticos, era popular entre os brasileiros. Na cidade de Caravelas o Elixir Tibornina foi empregado, dentre outras coisas, no tratamento da sífilis.

Por isso a maioria, sobre tudo os mais pobres, recorriam com frequência aos medicamentosos elixires cujo à propaganda era feita em jornais impressos através da divulgação de relatos dos usuários e médicos “satisfeitos com o uso.”

Em 1909, por exemplo, estava em alta o Elixir Tibornina, “específico eficaz da Flora Brasileira” que prometia trazer a “cura radical das moléstias e das impurezas do sangue por mais crônicas e rebeldes que sejam.” Como destacou a propaganda do produto em um jornal soteropolitano de 1908 que publicava relatos dos usuários e de médicos para conferir credibilidade ao produto.

Como o do tal Dr. José Carlos Gomes da Silva, de Caravelas, datado de 1º de dezembro de 1888 que relatou: “Atesto que tenho empregado na minha clínica o Elixir de Tibornina do farmacêutico Floriano Serpa obtendo sempre ótimos resultado na sífilis em suas diversas manifestações, razão que obriga-me a preferira-o a outro qualquer medicamento aconselhado nas preferidas moléstias”.

Sífilis em Caravelas? Como isso? Em 1888 a cidade de Caravelas era dona de um dos portos mais movimentados da região, a Companhia Baiana e a Companhia Espírito Santos e Caravelas de Navegação de passageiros realizava paradas regulares no lugar que desde 1882 era ponto final da estrada de ferro Bahia-Minas, que no primeiro momento ligava Caravelas a cidade de Serra dos Aimorés, então limite entre os Estados da Bahia e Minas Gerais, no período a sífilis  era uma doença já comum entre os brasileiros desde sempre.

Propaganda da Companhia de Navegação

No livro Casa grande e Senzala, Freyre traz citações e afirma a partir destas que desde o século XVIII o Brasil era assinalado em livros estrangeiros como “a terra da sífilis por excelência” e que na zona mais colonizada, litoral, sempre foi larga a extensão da doença associada ao grande vigor sexual dos colonizadores e dos negros escravizados. Tanto que a publicidade de remédios, elixires e garrafadas para tratamento de males venéreos “faz-se de forma escandalosa.”

Fatos que permite supor que o trânsito intenso de trabalhadores e passageiros elevaram os casos da doença transmitida por via sexual, uma das mais combatidas pela saúde pública nas últimas décadas do século XIX e nas primeiras do século XX, na cidade portuária onde os moradores eram tratados com o Elixir Tibornina em clínicas como a do tal Dr. José Carlos, como sugere o texto da propaganda.

Fontes e referências:

Diário de Notícias 02 de maio de 1900. Acervo site tirabanha.

SAGGIORO. Elder Sidney. SINTOMAS DO MOMENTO: MEDICAMENTOS E PROPAGANDA NO “COMÉRCIO DO JAHÚ” : https://www.unisagrado.edu.br/custom/2008/uploads/anais/historia_2016/Sintomas_do_momento_Elder_Saggioro.pdf


FREYRE. Gilberto. Casa Grande e Senzala .

Daniel Rocha da Silva*

Historiador graduado  e Pós-graduando em História, Cultura e Sociedade pela UNEB-X.Fontes e Referências

Contato WhatsApp: ( 73) 99811-8769 e-mail: samuithi@hotmail.com

O Conteúdo  deste Site não pode ser copiado, reproduzido, publicado no todo ou em partes por outros sites, jornais e revistas sem a  expressa autorização do autor. Facebook.

Foto : Caravelas.

Ativar as notificações de novas postagens.(Click Aqui)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *