Por Daniel Rocha

Ao longo do seu tempo, a população teixeirense enfrentou dificuldades decorrentes da falta de infraestrutura, assistência pública e intervenção oficial. Quando as autoridades locais não conseguiram lidar de forma adequada com essas questões, alguns moradores, comunidades religiosas, associações e representações sindicais tomaram a frente, ou seja, assumiram a liderança e a iniciativa de lançar campanhas e projetos para resolver algumas questões e amenizar a falta de alguns serviços e reivindicar interesse público.

Em 1971, a Prefeitura Municipal de Alcobaça liderou a iniciativa conjunta da comunidade para construir a primeira escola de ensino ginasial em Teixeira de Freitas. A criação do CEPROG – Colégio Estadual Professor Rômulo Galvão foi possível graças às expressivas doações e ao apoio de membros da igreja católica, bem como de moradores locais, incluindo Nelito Cardoso, Isael de Freitas Correia, Jesus Moura e irmã Adilis. Esses indivíduos se uniram para fundar a escola, que inicialmente era conhecida como Escola Cruzeiro do Sul.

Depois de sua construção a escola permitiu que jovens estudantes da região pudessem estudar e concluir seus estudos básicos em sua própria cidade, sem precisar se deslocar para outras cidades próximas.

Até a década de 1980, crianças e jovens do então povoado não contavam com espaços para lazer e cultura. Mais uma vez a iniciativa popular foi  importante para sanar essas faltas, como a ação da professora “Dona Luzia” que faz uso do espaço do Cine Brasil para montar peças teatrais abertas à comunidade apresentadas no Cine Brasil, parceiro do projeto na década de 1970. 

Em 1986, em uma situação diferente, a juventude da Primeira Igreja Batista assumiu a responsabilidade de construir uma quadra poliesportiva com o apoio da instituição. A comunidade local carecia de espaços para práticas esportivas e de lazer, pois a cidade não possuía ginásios de esporte, parques ou campos públicos. A quadra seria utilizada pelos membros da igreja e também por qualquer pessoa interessada na comunidade.

Durante as eleições de agosto de 1990, que visavam a seleção de deputados e senadores que atuariam como constituintes revisores em 1993, com poderes para sugerir e votar emendas à Constituição Federal de 1988, diversos teixeirenses ,articulados em movimentos sociais e sindicatos da cidade, distribuíram panfletos criticando a atuação de alguns deputados do Estado.

A iniciativa, coordenada pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), teve como objetivo conscientizar os moradores da cidade sobre o fato de que o candidato, entre outros, havia agido de maneira contrária aos interesses dos trabalhadores durante a Assembleia Constituinte de 1988 e não tinha apresentado nenhum projeto voltada a comunidade.

No ano de 1991, o jornalista Ivan Rocha foi assassinado em Teixeira de Freitas. Ele apresentava um programa de rádio na Difusora e Alvorada, onde fazia denúncias sociais e abordava questões cotidianas da cidade e da região sul da Bahia.

Devido à falta de uma resposta rápida das autoridades e do sistema judicial, multidões de diversas religiões e igrejas, tanto protestantes quanto católicas, trabalhadores e líderes de diferentes sindicatos, participaram de um culto ecumênico realizado na Praça Caravelas. O evento foi organizado por frades franciscanos e pastores e tinha como objetivo exigir respostas da classe política e pedir justiça pelo ocorrido.

Essas e outras iniciativas evidenciam a força, a fé e a resiliência da comunidade teixeirense diante das dificuldades enfrentadas ao longo da história. Apesar das carências e das lacunas deixadas pelas autoridades, a população não se deixou abater e buscou soluções criativas tomando a frente para suprir as suas necessidades. Isso reforça a importância do engajamento coletivo e da solidariedade na construção de uma cidade mais unida e atenta às demandas públicas.

Fontes:

Os desbravadores do Extremo sul da Bahia – História da presença franciscana nessa região -raízes e frutos Belo Horizonte, 2011.

PIBATEF 50 ANOS: uma história de fé. Teixeira de Freitas. 1º Edição: setembro de 2017.

Daniel Rocha e Danilo Oliveira. Cinema – Contribuições no Processo de Formação da Sociedade de Teixeira de Freitas nos anos de 1960, 1970 e 1980. UNEB, Campus X – Teixeira de Freitas – BA.

Diap ataca candidatos em redutos eleitorais. JB.15/08/1990. Acervo do Site.

Daniel Rocha da Silva*

Historiador graduado  e Pós-graduando em História, Cultura e Sociedade pela UNEB-X.

Contato WhatsApp: ( 73) 99811-8769 e-mail: samuithi@hotmail.com

O conteúdo  deste Site não pode ser copiado, reproduzido, publicado no todo ou em partes por outros sites, jornais e revistas sem a  expressa autorização do autor. Facebook.

Compartilhar: