Arquivo da categoria: Esquina poetica

Urgências

 

 

Precisa-se desesperadamente

De um céu azul

De uma flor em botão

De um lago sereno

De um por do sol dourado.

 

Ainda em desespero, precisa-se,

De uma borboleta amarela

Daquelas bem bisbilhoteiras.

De uma música seresteira

E de um olhar galanteador.

 

Precisa-se muito de tudo isso

Para amarrar-se ao mundo

E do topo gritar:

– Disso tudo que preciso,

Eu quero mesmo é amar!

 

Cássia Diaz Oz

DESVELAMENTO

Concebido em meio angústia e desvarios

Martelo insistente o pensamento

Míngua a calmaria duramente conquistada

Na espera ociosa do desvelamento.

Dou-te então ao vento

Pra que meu pensar receba alento

Ponho-te com firmeza no papel

Pra reaver meu silêncio.

 Vá-se, pois, agora então

Perder-se numa leitura qualquer

Viúva de meus sentimentos

Desnuda do meu bem te quer.

Cássia Diaz Oz

Ladra

 
Doravante quero ser coragem
De fazer valer
Todo esse sentir.
E tal qual Blimunda, roubar suas vontades,
E te amarrar a mim.
E dar asas a esse bem querer
Que me atiça os sonhos
De te possuir.
E acordo louca
De tanto bem querer
Que me amarro a mim
Pra não me perder.
Pra não te perder.
Pra não nos perder.
Pra eu me reaver.

                                             Cássia Diaz Oz

AMOR INACESSÍVEL

Sua imagem ainda está fixa em minha mente, me pego banhando em lagrimas, e sua a ausência ainda permanece.

E deleito de sentir o seu perfume e a volúpia toma conta, me vejo atormentado com a imagem dela, inóspito por não poder toca-la, volto aos meus pobres dias.

O lamento ecoa em meus ouvidos, um pranto melancólico sedento por mais e mais amor.

Wagner  Nascimento

Veja também:

Fragmento de um amor

 

Necessidade

 

              Preciso urgentemente

            Me encontrar comigo

            Pra saber ao certo

            O que vai ser de mim.

            Não mais me conheço

            Não mais me alcanço,

            Nem mesmo me lembro

            Para que que eu vim.   

 

       

Cássia Diaz Oz                      

Veja também:
Imagem: Google imagens
 
 
 

Denúncias

Denuncia – se um agressor de gente
Que deslustra a alma
Que deslumbra a mente.

Denuncia-se uma malquerença
Que rabisca sonhos
Que aniquila crenças.

Denuncia-se debalde um coração
Que atravanca a esperança Em qualquer direção.

Denuncia-se, pois, esse malfeitor
Que escancara a vida,
Pra esse tal de amor.

                    Cássia Diaz Oz. 

Imagem:   L’Amour désarmé (Amor Desarmado) . Wlliam – Adolphe Bouguereau