Arquivo da categoria: Sal na Pipoca

Liga da Justiça

 

Por Daniel Rocha

Apesar de tanta badalação, é engraçado como o filme Liga da Justiça (2017), em cartaz, que reuni a equipe de heróis mais famosa do universo DC, é decepcionante e ao mesmo tempo capaz de agradar crianças e adolescentes.

No filme, sinopse, impulsionado pela restauração de sua fé na humanidade e inspirado pelo ato altruísta do Superman, Bruce Wayne convoca sua nova aliada Diana Prince para o combate contra um inimigo ainda maior, recém-despertado. Juntos, Batman e Mulher-Maravilha buscam e recrutam com agilidade um time de meta-humanos, mas mesmo com a formação da liga de heróis sem precedentes, poderá ser tarde demais para salvar o planeta de um catastrófico ataque.

Apesar da riqueza visual e da produção caprichada, o filme exagera com um roteiro que equilibra mal o humor, a dramaticidade e o vilão, pouco relevante.

Porém ao mirar nas crianças e adolescentes, seu público-alvo, o longa acerta em cheio com piadinhas e discursos clichês, uniformes estilizados, pancadaria e demonstração de força. Um filme para se ver ,divertir e esquecer.

CINE TEIXEIRA
Sessões:
18:15H / 20:45H

Informações Adicionais:
Classificação: 12 anos 
Gênero: Ficção Científico / Ação
Duração: 2h 00min
Dublado

Programação sujeita a alterações.

Thor pelo bem do povo

Por Daniel Rocha

Quando uma força do mal se apossa do trono e do poder para governar um povo através de ameaças e repressão, cabe ao rei  deposto fugir do jugo do traidor para se erguer, reunir amigos, costurar alianças e  reconquistar o trono pelo bem do povo e não do reino.

Obviamente não estamos a falar do círculo político brasileiro e sim do filme Thor Ragnarok (2017), em cartaz. No filme, sinopse, Thor é preso do outro lado do universo, sem o seu martelo poderoso e encontra-se numa corrida contra o tempo para voltar a Asgard e impedir Ragnarok – a destruição do seu mundo e o fim da civilização Asgardiana -, que se encontra nas mãos de uma nova e poderosa ameaça, a implacável Hela. Mas, primeiro precisa de sobreviver a uma luta mortal de gladiadores, que o coloca contra um ex-aliado e companheiro Vingador – Hulk.

Claramente o filme segue o estilo Guardiões da Galáxia (2014), ação, humor e efeitos mirabolantes, trilha com músicas dos anos de 1980, uma fórmula de sucesso que dificilmente não agrada. Porém para quem aprecia o segundo filme da franquia, Thor : O mundo Sombrio (2013) e um Hulk mais próximo as HQs, esse epílogo  pode parecer desastroso.  Perfeito mesmo só a mensagem de que o povo é mais importante do que o poder  e o trono.

Cine Teixeira
Sessões*:

18:00H
20:30H

 

Cinesercla PátioMix Teixeira de Freitas

Sessões*:

15:45 – 18:10 – 20:45

  • Programação sujeitas a alterações

Blade Runner 2049

 

Blade Runner 2049 (2017)  é um filme de  ficção científica dirigido pelo diretor Denis Villeneuve   que passa três décadas depois dos acontecimentos do Blade Runner: O Caçador de Andróides,  dirigido por Ridley Scott em 1982. O novo filme repete a fórmula do original mantendo o estilo e o ritmo oitocentista.

No filme (sinopse) Trinta anos depois dos eventos do primeiro filme, um novo blade runner, um oficial da Polícia de Los Angeles (Ryan Gosling) remexe em um segredo há tempo enterrado e que tem o potencial destrutivo de levar a sociedade ao caos. A descoberta do policial K o leva em busca de um ex blade runner da polícia de Los Angeles, Rick Deckard (Harrison Ford), que está desaparecido por 30 anos.

Com um bom roteiro e qualidade técnica o  Blade Runner 2049 visualmente não se distingue muito do original, porém o ritmo da narrativa e a duração (2h 43m)   pode  incomodar ,sobretudo, os habituados a velocidade do cinema atual e aqueles que não estão familiarizados com o enredo. O filme é  indicado para os fãs de carteirinha.

 

 

 

 

 

It – A Coisa

Por Daniel Rocha

 

É impossível assistir a este filme ( It – A Coisa, 2017)  sem uma grande parcela de incômodo. Esta é uma fita  sobre um palhaço que usa a fantasia para assombrar e perseguir crianças e não divertir, como todos esperam dos trajados do ramo.

No filme, que é baseado em uma adaptação do livro A coisa, Stephen King, quando as crianças começam a desaparecer na cidade de Derry, no Maine, as crianças do bairro se unem para atacar Pennywise, um palhaço malvado, cuja história de assassinato e violência remonta há séculos.

 

Não se pode deixar de pensar na triste ironia de que o palhaço persegue crianças, o público que mais o adora, é esse detalhe que torna o filme mais incômodo, sufocante e assustador. Bem realizado o longa surpreende até o final. Vale a pena conferir.

 

Cine Teixeira

IT – A COISA
Sessões:
18:15
20:45

Informações Adicionais:
Classificação: 16 ANOS
Gênero: 
Duração: 2h 15min
Dublado

 

A Torre Negra

Por Daniel rocha

Eu não conheço o romance escrito por Stephen King que deu origem a adaptação, mas devo dizer que o filme A Torre Negra (EUA, 2017) não mantém o nível das boas adaptações do autor para tela.

Na trama, sinopse, o pistoleiro Roland Deschain percorre o mundo em busca da famosa Torre Negra, prédio mágico que está prestes a desaparecer. Essa busca envolve uma intensa perseguição ao poderoso Homem de Preto, passagens entre tempos diferentes, encontros intensos e confusões entre o real e o imaginário.

O filme é movimentado e recheado de surpresas, é uma boa história de fantasia, porém no final a sensação é de que o produto vendido não foi entregue como prometido. Falta sinergia entre a proposta e a realização.

 

 

 

Valerian e a Cidade dos Mil Planetas

Por Daniel Rocha

Luc Besson não é um diretor perfeito, mesmo em sua melhor fase nos anos noventa, quando entregou trabalhos cultuados como o filme o Quinto elemento (1997), foi duramente  criticado.

Mesmo assim havia o reconhecimento de que seus filmes  eram diferenciados e tinha um toque de cinema francês que dava um charme a mais as produções que nunca seguiam a  risca os  padrões estabelecidos  por Hollywood . A mesma pegada  se nota no seu trabalho mais recente   Valerian e a Cidade dos Mil Planetas (2017).

Na fita, sinopse, Valérian é um agente viajante do tempo e do espaço que luta ao lado da parceira Laureline, por quem é apaixonado, em defesa da Terra e seus planetas aliados, continuamente atacados por bandidos intergalácticos.

O filme é rico em efeitos especiais , tem cenários bem elaborados e  personagens curiosos e cativantes, contudo Besson desenvolve pouco a narrativa e o universo extenso que mostrou ter muito a oferecer.

Tal como o Quinto Elemento o filme tem seus defeitos  mas o diretor consegue fazer valer seu estilo. Valerian e a Cidade dos Mil Planetas não é perfeito, mas Vale o ingresso.

 

 

Planeta dos Macacos: Uma inteligente sátira do mundo atual

Por Daniel Rocha

 

Macacos com inteligência desenvolvida entram em confronto com seres humanos que, acuados e fragilizados, tenta resistir à extinção e ocupação dos malvados oponentes. Até parece que você já viu esse filme, só que não. 

Planeta dos Macacos: A guerra (EUA, 2017) é a parte final de uma trilogia iniciada em 2011 que traz o prelúdio da história apresentada pelo clássico estrelado por Charlton Heston em 1968, uma adaptação do livro de Pierre Boulle, que retrata como seria o mundo se a evolução tivesse seguido um caminho diferente. 

No filme, O líder dos primatas, César (Andy Serkis), e seu grupo são forçados a entrar em uma guerra contra um exército de soldados liderados por um impiedoso Coronel (Woody Harrelson). Depois que vários macacos perdem suas vidas no conflito, César luta contra seus instintos e parte em Busca de vingança. Dessa jornada o futuro do planeta fica em jogo. 

No filme não há maniqueísmo, o bom o ruim, o valente e o coitado. Todos estão sujeitos a erros e escolhas equivocadas, julgamentos precipitados e falhos. O primata César é o grande nome do filme, sua postura ética e preferência pelos ideais de humanidade contrasta com o modo de agir dos humanos com quem está em pé de guerra e também tem seus motivos. 

Essas e outras qualidades classifica o filme como um dos mais relevantes da atualidade por, dentre outras coisas, provocar o público para questão bem atuais como, qual o critério para decidir quem está certo ou errado? Qual o critério para definir quem é o bandido e o herói? Ainda acreditamos na humanidade? Somos mesmo capazes de dialogar? 

Planeta dos Macacos: A guerra é um filme acima da média, um espetacular e transformador exercício de reflexão que provavelmente você não espera e nunca viu igual. Vale a pena conferir. 

 

Em Cartaz: Planeta dos Macacos: A Guerra

Cine Teixeira
Sessões:
HOJE
18:15
20:45

Cinesercla PátioMix Teixeira de Freitas

3D
15:10
17:50
20:30
Dublado em português
Padrão
20:40

 

Batman: O retorno em 8-Bits

Por Daniel Rocha

O Game Batman Returns, lançado em 1993 no Brasil, é uma transposição do filme Batman: O Retorno , 1992, do diretor Tim Burton para o universo dos  Games. Tal como filme o game conquistou milhares de fãs de várias plataformas  no país e no mundo  alcançando ,na época, o posto de melhor lançamento do ano.

 

20227265_1341120892662796_1853966961_n

Na propaganda do cartucho lançado pela Tec Toy em 1994, destaca-se dentre outras qualidades do jogo os diversos recursos do Bat-cinto que na época era muito valorizado pelos fãs mirins. “Tem até bat – móvel, Bat-corda, Bat- laterna e muito Bat pancadaria”.

De acordo com o Wikipedia: “ A versão para Super Nintendo é ,provavelmente, a mais conhecida, foi lançada em 1993 e recebeu o prêmio de Melhor Jogo Licenciado de 1992 pela revista Electronic Gaming Monthly.”

No jogo, a história do filme era retomada e expandida para preencher os sete níveis do game que apresenta logo de início  Gotham City  tomadas por inúmeros palhaços, fortes, maus e decadentes, a serviço do vilão Pinguim, onde um Batman pesado e lento corre em meio a comedores de fogo e atiradores de facas para chegar ao esconderijo do vilão se valendo de seus Bat-recursos.
capture-20170722-114238

 

O jogo divertia muito e ofertava dificuldades que não deixavam a brincadeira cair na monotonia. O rico cenário da cidade de Gothan era muito bem representada em  2D, com o estilo  e atmosfera da história vista no cinema,  agradando em cheio um público cada dia mais exigente quanto a qualidade dos bits.

 

capture-20170722-113335

Olhando de frente para trás pode se dizer hoje, 25 anos depois, que a representação de Gotham foi um dos maiores atrativos do jogo que permitiu aos jogadores passear ,como nunca, pelas ruas escuras e geladas de uma das cidades fictícias mais conhecidas do mundo.

Batman Returns, o game, marcou uma geração de fãs e jogadores que  ainda no presente ,tendo acesso a jogos tecnicamente perfeitos, sentem nostalgia dos bons momentos  vividos na Gotham  cinema e no maior lançamento  8-bits  daquele ano.

 

BATLINKS:

 

Será lançado no final deste ano,12/2017, o  livro Batmania – O retorno, de autoria de Paulo Chacon pela Companhia de Quadrinhos Independentes com relatos de toda euforia e ansiedade perante  a estreia do filme Batman: O retorno, 1992, no país com  reportagens, publicidade, produtos e curiosidades sobre a obra. O livro é fruto de uma intensa  pesquisa de mais de dez anos. Ideal para todos os fãs que adoram mergulhar no universo do herói. No Blogue da companhia dos Quadrinhos vinte e cinco desenhos dão uma prévia do trabalho. Confira!

 

No Youtube é possível  vê e matar a saudade   do aclamado game  baseado no filme Batman Returns. Assista.

 

O filme Batman: O retorno, completou 25 anos no início de julho e a data não passou despercebida pelos milhares de fãs espalhados pelo mundo e no Brasil. No Facebook o grupo BATMAN: O RETORNO, fãs divulgam  curiosidades, textos e postagens sobre o filme que marcou a história do gênero. Participe!

 

Ano passado o site tirabanha na série: Filmes que marcaram época  em Teixeira de Freitas destacou a exibição de Batman: O retorno na cidade. Veja.

 

capture-20170722-112516

Julho será o mês do Aranha

Por   Daniel Rocha

 Julho será o mês do Aranha, isso porque no dia 06 a Marvel lança no país o primeiro filme do herói que o insere de uma vez por todas no multiuniverso de suas lucrativas franquias. Enquanto esperam os fãs tem à disposição uma série de  excelentes fãs films disponíveis no YouTube.

Sob o título Homem-Aranha: De Volta ao Lar ( Spider-Man: Homecoming) o filme vai apresentar um Peter Parker adolescente, como qualquer outro, ligado às redes sociais e a tecnologia, que além dos tradicionais vilões também terá que superar os desafios da adolescência e da vida escolar, sugere o trailer oficial divulgado.

De acordo com os sites especializados em cinema o novo filme do Homem – Aranha é um dos mais esperados do ano, tendo inclusive ocupado em alguns a primeira posição. Se antes para acalmar a ânsia pela chegada do filme restava aos fãs os games, desenhos e reprises no presente os admiradores podem recorrer aos Fan films , filmes feitos por fãs, para viajar em novas narrativas e formatos do aracnídeo como Homem Aranha Eclipse e    Homem-Aranha – Uma História de Miles Morales.

O filme bastante esperado pelo público,Homem-Aranha: De Volta ao Lar,  estará à disposição dos teixeirenses a partir do dia 06/ 07, em salas do Shopping Pátio Mix,em 2D e 3D, e no Cine Teixeira, Shopping Teixeira Mall, em 2D, que já vem divulgando em seu endereço na internet o lançamento que promete movimentar o mês de julho.

 

Confira um dos Fan film do Homen – Aranha

 

 

 

 

A mitológica Mulher – Maravilha

Por Daniel Rocha

Na mitologia grega as mulheres tinham um papel mais ativo, heroico e bravo porém não detinham o mesmo poder de escolha  dos homens e suas histórias de vida estavam sempre ligadas a deles, estes sempre colocados como vitimas da curiosidade e impulsividade delas.  

Um bom ilustrativo é a figura de Pandora, fruto da falsidade de Zeus, que a presente com uma caixa onde todos os males do mundo estavam aprisionados. Contra as recomendações de Zeus, narra sua história, e guiada por curiosidades Pandora liberta toda maldade existente nos seres humanos.

O mito da filha curiosa é uma construção que traz nas entrelinhas  a ideia existente na antiguidade de que ao se apropriar de  poder a mulher ficava  sucessível a corrupção, a impulsividade e a erros fatais, ideia que ainda vigora em sociedades machistas como a nossa e em certos genêros  cinematográficos.

Com as telas de cinema tomadas por super-heróis, que  se assemelham aos deuses, já era mais que na hora de uma heroína brilhar e levar para as sala o melhor do sentimento feminista. Dito isso afirmo que o filme da heroína, Mulher Maravilha (em cartaz) cumpre bem esse papel.

No filme, sinopse, treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.

Em última análise mulher maravilha é um filme em que a heroína, que além de atos e extraordinários,  é  livre e impulsiva, mas nem por isso isso insensível ou fraca. Ela guia e não se permite guiar, se apaixona mas não se torna mais fraca por causa disso. Sem estereótipos o longa consegue agradar não só as meninas como também todos os  gêneros. Imperdível.