Arquivo da tag: causos teixeira de freitas

CAUSOS DA RUA DO BREGA: PARTE 03

 Por Daniel Rocha

Os dizeres “ter uma mulher por conta” ou “colocar uma mulher por conta” são expressões populares na cidade que significa “tornar-se amante de uma mulher e suprir todas as suas necessidades”. Conta uma  antiga moradora que isso ocorria quando um homem solteiro ou casado, apaixonava-se por uma mulher da “Rua do Brega” ou como é conhecida oficialmente “Rua Mauá”. Endereço que no passado, 1960 a 1990, concentrou diversos bares e casas de prostituição em Teixeira de Freitas.

Segundo uma anedota contada por alguns moradores quando a mulher descobria que o marido estava de costume tomar “aquela direção” ou “com uma mulher por conta” ouvia sempre do cônjuge, repreendido, a seguinte frase: “que mal há nisso!” Por essas e outra a rua ficou conhecida como “Rua Mal há”. 

Havia algum mal em frequentar a tal rua? De acordo Maria Aguiar na década de 1970 não havia mal alguns rapazes solteiros procurar o lugar. Isso porque as noivas de família tinham que se resguardar se para o casamento. “O homem era obrigado esperar a noiva, então entendiam que ele tinha que ir. Era normal”. 

Porém o causo “Entrou com moto e tudo” insinua algo que todo mundo já sabe, mesmo depois de casados alguns homens continuavam a frequentar aquela parte boêmia da cidade, como revela a narrativa de uma senhora de 70 anos, popular por memorizar e compartilhar acontecimentos “engraçados” sobre o passado da cidade. O causo foi registrado de maneira informal pelo site em 2013.

Conta a antiga moradora da cidade que, em um ano da década de 1980, uma esposa desconfiada da visita do marido a tais estabelecimentos da Rua do Brega resolveu investigar se ele tinha no local uma “mulher por conta”. O marido muito esperto percebeu que a mulher estava atenta aos seus passos. Porém mesmo assim não deixou de visitar a amante, “afinal cavaleiro que é bom, quando cai, cai bem”.

Diante disso, a esposa desconfiada por vezes percorria dia e noite toda extensão da rua observando se a moto do marido estava estacionada na entrada de uma das casas noturnas da afamada rua. Depois de um tempo policiando o local constatou com base em suas observações que o marido não estava mentindo quando dizia que não era de visitar o lugar. 

Dias depois do ocorrido, durante uma bebedeira, o motoqueiro contou para os “amigos de copo” que ao visitar a amante no bar ou na casa na Rua do Brega não estacionava à motocicleta na porta, como de costume, e sim dentro de um quarto reservado para o encontro. Finalizando a narrativa, entre risos e gritos dos amigos, com a frase que se tornou um meme oral entre eles. “Eu entro é com a moto e tudo”. 

 Fontes: 

Depoimento de Maria Aguiar extraído do trabalho monográfico:

ROCHA. Daniel; OLIVEIRA.Danilo. Cinema – Contribuição no processo de Formação da Sociedade de Teixeira de Freitas nos anos de 1960, 1970 e 1980.

DEL PRIORE, Mary. História do amor no Brasil. 2ª ed. – São Paulo: Contexto, 2005

Narração do “causo”.

Conversa Informal com a senhora M . L  em 2013

Daniel Rocha da Silva*

Historiador graduado  e Pós-graduando em História, Cultura e Sociedade pela UNEB-X. 

Contato WhatsApp: ( 73) 99811-8769 e-mail: samuithi@hotmail.com

O Conteúdo  deste Site não pode ser copiado, reproduzido, publicado no todo ou em partes por outros sites, jornais e revistas sem a  expressa autorização do autor. Facebook.

Causos da “ Rua do Brega”: Parte 02

 Ativar as notificações de novas postagens. (Click Aqui)