Arquivo da tag: Farofeiros teixeira de freitas ba

Os teixeirenses “farofeiros”

Por Daniel Rocha

Até a década de 1990 o costume de organizar passeios coletivos, preparar e comer farofas na praia, rendeu aos teixeirenses o apelido de “farofeiros”. As excursões eram organizadas por homens e mulheres, trabalhadores e trabalhadoras, que ao fazer isso permitia aos mais pobres acessar a praia.

Para saber mais sobre esse tipo de turismo conversei em  informalmente com duas moradoras da cidade,  Folha Lima e Aurenice Nunes que tem boas lembranças deste período.

A Moradora do Bairro Jardim Europa, Folha lima de 48 anos, por exemplo, recordou com alegria que organizou esse tipo de passeio no bairro do Ulisses Guimarães na década de 1990.  Durante o bate- papo  ela detalhou que a organização do passeio começava com o levantamento dos custos e a definição do destino, Alcobaça ou Prado. Em seguida saia pelas ruas do bairro procurando interessados.

Com a lista de excursionistas fechada, os moradores pagavam o valor definido para o aluguel do carro, ônibus ou caminhão, comprar bebidas e  o frango para fazer a farofa, detalhou .

Ainda de acordo com a moradora, a farofa era no geral feita com frango, porém na falta da carne nada impedia que outro tipo fosse utilizado, recordou, por exemplo, que em uma oportunidade fez uma farofa com “Bofe bovino”.

Antes do dia do embarque, todos os passageiros eram comunicados do local e horário, no bairro o ponto de partida era enfrente a igreja Católica onde todos os moradores deveriam estar as 5h00 da manhã.

No destino os “farofeiros” armavam barracas e em algumas ocasiões faziam churrascos animados por pagodeiros da turma, como bem lembra ter acontecido no verão de 1994 em Alcobaça.

Folha revelou que nunca ouviu ou sentiu se ofendida com conversas ou observações depreciativa e preconceituosa por parte dos moradores e tão pouco dos turistas. “Se juntavam ao grupo para brincar e comer farofa chamando uns aos outros de farofeiros. Era um tempo bom de namoro e boas amizades, todo mundo era unido”, disse ela.

No bairro São Lourenço também  era muito comum à realização deste tipo de passeio para Alcobaça. Afirmou  Aurenice Nunes que no final da década de 1980 e início da década de 1990 participou de algumas  organizadas pelos vizinhos que costumavam fretar ônibus para o passeio. “Ficava mais barato”.

Tal como no Ulisses Guimarães, o grupo de passageiros era formado  por rapazes e moças, trabalhadores do comércio, autônomos, estudantes e domésticas, famílias e moradores de outras parte da cidade que iam subindo ao longo do percurso. “Saíamos cedo para voltar no finalzinho da tarde”.

De acordo com os relatos das moradoras durante o passeio acontecia de tudo e mais um pouco. Namoros na praia que se estendia ao mar, pais preocupados com crianças, brigas  por conta de interesses amorosos ou motivada por bebidas, brincadeiras e sátiras envolvendo a divisão da farofa e os trajes de banho de alguns, tudo sem interferências internas e sem rancor no final.

Conforme enfatizam os relato a farofa ainda faz parte da rotina de veraneio de alguns moradores principalmente na virada do ano quando o discurso consumista ligado ao turismo e o forte calor atiçam nas pessoas o desejo de ir à praia.

———————————————————————————–

Daniel Rocha da Silva*

Historiador graduado  e Pós-graduando em História, Cultura e Sociedade pela UNEB-X.

Contato WhatsApp: ( 73) 99811-8769 e-mail: samuithi@hotmail.com

O Conteúdo  deste Site não pode ser copiado, reproduzido, publicado no todo ou em partes por outros sites, jornais e revistas sem a  expressa autorização do autor. Facebook.

O texto foi originalmente publicado em 2016 no site tirabanha. Versão adaptada.

Ativar as notificações de novas postagens.(Click Aqui)

Veja também:

Filmes que marcaram época na cidade: O exorcista