A explosão que ocorreu duas vezes no mesmo lugar em Teixeira de Freitas

 

Por Daniel Rocha

No dia 12 de Maio de 2009, 23h15min,  uma caldeira da usina de asfalto do Grupamento de Engenharia do Exército Brasileiro (GEEB), que ficava no bairro Caminho do Mar, em Teixeira de Freitas, explodiu e pegou fogo. Cinquenta anos antes um fato parecido ocorreu nas proximidades do mesmo lugar.

Segundo noticiou na época o site local Teixeira News, a caldeira do sinistro acontecimento estava parada e não havia militar na área no momento da explosão por isso ninguém saiu ferido. O asfalto produzido pela usina seria utilizado na recuperação da BR 101 que estava em andamento. 

Ainda de acordo com informações publicadas no site, diante do ocorrido os trabalhadores do exército   tiveram que acionar o corpo de Bombeiro da cidade para conter o fogo que alastrou-se em grande  proporção por  toda unidade militar.

Curiosamente, no dia 24/08/1959, cinquenta anos antes da explosão da caldeira, nas proximidades  do mesmo lugar, pouco metros antes do bairro Caminho do Mar, às margens da estrada de rodagem da Fazenda Cascata, hoje BA-209, também foi cenário de uma explosão.

Um estabelecimento que comercial que funcionava como um ponto de apoio para transeuntes e trabalhadores passantes e que também vendia gasolina armazenadas em tonéis que era extraída com uma bomba manual foi destruído por uma grande explosão.

Conforme revelou Vantuil do Nascimento Correia em uma conversa informal em 2014, o acidente ocorreu durante a noite quando um cliente solicitou atendimento para abastecer o carro. Como não havia energia elétrica no lugar o atendente se dirigiu ao lugar onde ficava guardado o combustível com um candeeiro na mão, utilizado para iluminar o lugar carente de iluminação elétrica.

Ao agachar para pegar a bomba manual,”molhada de combustível”, a chama do candeeiro deu início a um incêndio seguido de uma grande explosão que destruiu todo o lugar. Tal como o incidente de 2009, não houve trabalhadores  feridos.

Convém destacar que o fato revela, dentre outras coisas, a expertise e o empreendedorismo dos moradores que já residiam no território em aproveitar o movimento das estradas de rodagens abertas durante a década de 1950, para praticar a mercancia que favoreceu o surgimento de um pequeno comércio chamado popularmente de “Comércio dos Pretos”.

Comércio que que possibilitou o surgimento da cidade de Teixeira de Freitas, antes da chegada dos  trabalhadores, migrantes mineiros e capixabas, na década de 1970, que também contribuíram ao seu modo para o crescimento demográfico e territorial do povoado de Teixeira de Freitas, emancipado em 1985.

Créditos & Referências

BORBOREMA. Athyla. Caldeira da usina de asfalto do Exército pega fogo em Teixeira de Freitas. Site Teixeiranews. Publicado 13/05/09. Acessado e Arquivado em 16/05/09. Disponível acervo do site tirabanha.com.br

Uma parte da história de Teixeira de Freitas contada por Vantuil de Freitas Correira. Jornal Alerta. Especial de aniversário: 29 anos de Teixeira de Freitas. 2014.

Conversa informal com Vantuil do Nascimento Correia. Agosto de 2014.

Colaborou o memorialista Domingos Cajueiro Correia.

Daniel Rocha*
Historiador graduado  e Pós-graduando em História, Cultura e Sociedade pela UNEB-X.

Contato WhatsApp: ( 73) 99811-8769

e-mail: samuithi@hotmail.com

O Conteúdo  deste Site não pode ser copiado,reproduzido,publicado no todo ou em partes, sem a  expressa autorização do autor.

 

 

One thought on “A explosão que ocorreu duas vezes no mesmo lugar em Teixeira de Freitas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *