Arquivo da categoria: Cotidiano

Teixeira de Freitas 34 anos: O Policial Rodoviário da cidade

Por Daniel Rocha

A BR -101 rodovias federal que corta a cidade, inaugurada em 1973, permitiu uma série de mudanças na estrutura econômica da região do extremo sul da Bahia e na cidade de Teixeira de Freitas. Com ela saímos de uma economia exclusivamente agrária e extrativista para um comércio ligado à dinâmica dos negócios do sudeste do país.

Alguns moradores pertencentes a famílias nativas e tradicionalmente ligadas à agricultura e ao comércio local, caminho natural para os descendentes, mudaram o rumo de suas histórias permitindo aos filhos galgar por caminhos nunca antes percorridos por um membro da família.

Isael de Freitas Correia e Maria de Lourdes Cajueiro

Nosso colaborador, memorialista Domingos Cajueiro Correia, por exemplo, que é filho de pais pioneiros, Isael de Freitas Correia e Maria de Lurdes Cajueiro Correia, parteira de muitos afilhados por toda Teixeira de Freitas, ilustra bem o que estamos falando.

Embora nascido e criado no universo rural  do então povoado Domingos Cajueiro Correia, Cajueiro como é mais conhecido, foi o primeiro teixeirense aprovado em concurso público para policial rodoviário realizado depois da abertura da BR-101 para a cidade em 1977.

Um grande feito de quem começou a estudar aos 08 anos de idade em uma escolinha do povoado  e que por volta dos seus 11 anos trabalhava transportando do trevo da BR 101 (próximo ao Batalhão da Polícia Militar de Teixeira de Freitas) até o centro da cidade o leite que era vendido no centro do povoado.

Domingos Cajueiro Correia

Após concluir o primário no então povoado de Teixeira de Freitas Cajueiro foi obrigado a migrar para a cidade de Caravelas em 1969, para cursar o ginásio, que corresponde hoje ao ensino fundamental, no Ginásio Santo Antônio,  uma tradicional instituição de Ensino, que contava com a contribuição de famílias de alunos que podiam pagar e o incentivo do poder municipal para quem não podia, poucos tinham acesso.

Após concluir o ginásio, Domingos Cajueiro retornou a cidade apenas em 1971 quando o lugar já disponha de escola de segundo grau fundada por membros da Igreja Católica e moradores locais, dentre eles o seu pai Israel de Freitas Correia.

Em 1976, Domingos Cajueiro concluiu o curso de contabilidade no Centro Educacional Professor Rômulo Galvão (CEPROG), como aluno da primeira turma de formandos de Teixeira de Freitas. Um ano depois, 1977, fez a inscrição e foi aprovado para a Polícia Rodoviária Federal (PRF), e foi admitido em 01 de outubro de 1979, tornando-se o primeiro policial rodoviário federal nativo de Teixeira de Freitas, profissão que continua e exercendo até os dias atuais.

Domingos Cajueiro, centro, e amigos

Durante os 40 anos na corporação federal, Domingos acompanhou a circulação de mercadorias e pessoas vindas de várias partes que se instalaram como moradores e comerciantes e as tragédias e alegrias do infinito vai e vem de carros. Elemento que ainda hoje desenha a relação econômica da região e as trocas comerciais do município que no presente, comparando com o passado, é um oásis de oportunidades para todos.

“Sinto que Teixeira uma grande referência para as outras cidades circunvizinhas…. Houve uma enorme evolução na saúde, educação na segurança pública, comércio, moradia e infraestrutura. Bem diferente da Teixeira que conheci no passado. Expressou Cajueiro em um bate-papo informal.

Homenageado pela câmara Municipal de Teixeira de Freitas no último dia 24 Abril com a “Moção de Profissional de Segurança Pública Destaque”, Domingos Cajueiro aproveitou a oportunidade para agradecer e lembrar seus companheiros de trabalhos e familiares, que em torno dele fez lembrar a importância e doação para história e construção da cidade.

Família Cajueiro Correia

“Este é um momento único para todos que compõe esta gloriosa instituição PRF… Quis o destino que eu fosse o escolhido pelos meus pares, a minha gratidão a Chefe da Delegacia Inspetora Neila Cardoso … Quero agradecer em primeiro lugar a Deus, minha família (esposa, filhos, irmãos), compartilhar essa homenagem a minha falecida mãe Maria de Lourdes e ao meu falecido pai Isael de Freitas Correia que fora pessoas de maior valor na história de Teixeira… Meu pai um dos fundadores e quem melhor descreveram a cultura negra quando a cidade ainda era povoado”.

Vingadores: Ultimato tem público online

Por Daniel Rocha

Finalmente a saga está finalizada, Vingadores: Ultimato (Avengers: Endgame, 2019) em cartaz nos principais cinemas do país e da cidade, é uma excelente conclusão dos 11 anos e 24 filmes do Universo Cinematográfico da Marvel Estúdios/Disney.

Como um bom filme pipoca, popular e de grande apelo comercial, o longa alterna entre humor, frases de efeito e momentos de grande emoção para segurar a atenção do público adolescente sempre atentos aos smartfone onde trocam mensagens e fazem selfies.

Parte da experiência atual, o aparelho é um companheiro inseparável do público jovem, maioria nesse tipo de filme, que participam antes e depois do espetáculo de forma online enviando imagens e pequenos vídeos da tela para os amigos  e consumindo horas a finco de conteúdos relacionado pela plataforma YouTuber.

A fixação do público atual com o aparelho é tanta que, para se ter uma ideia, desde 2016 a maior rede americana de cinemas AMC Entertainment decidiu criar sessões para quem não consegue deixar de usar o seu smartphone durante o filme. Segundo o presidente da rede Adam Aron, a proibição não era possível porque “não é assim que os jovens vivem”.

Até no filme o tratamento e os diálogos de alguns personagens conhecidos ,como o Hulk e o Thor, parecem até que foram feitos para ser compartilhados em formas de memes pelo público com esse perfil.

Por fim, uma coisa é certa: Vingadores: Ultimato é um sucesso comercial que entrega a maior batalha da história de uma saga cinematográfica mundial. Uma narrativa que se conecta, antes e depois, com as emoções e hábitos transcendentes do público da nova era do cinema.




Vingadores: Ultimato gera expectativas na cidade

Por Daniel Rocha

A poucos dias da estreia mundial, 25/04, o filme mais aguardado do ano, Vingadores: Ultimato (2019), conclusão culminante da saga dos heróis Marvel, fãs da cidade de Teixeira de Freitas, Bahia, vem movimentando as redes sociais, e dessa forma, aumentando ainda mais as expectativas dos praticantes de uma das atividades culturais mais frequentes na história da cidade: ir ao cinema.

Em tempos de revelações antecipadas, spoilers, assistir na estreia é a melhor pedida para quem quer aproveitar ao máximo o espetáculo americano que em números, cerca de 900 sessões esgotadas em todo país,  melhor abertura de pré-venda da história, já é o maior dessa década confirmando a expectativa de lucro dos estúdios Marvel/Disney.

Se para os estúdios a expectativa de lucro é grande para os cinemas da cidade ,Cinesercla e Cine Teixeira, que já esgotaram  os ingressos para primeira sessão, não deve ser diferente. Isso porque filmes com super-heróis costumam atrair público recorde na cidade.

Só para constar em 2004 o filme “Homem-Aranha 02 (2004)” superou o fenômeno “A Paixão de Cristo (2004)” que mobilizou o público religioso da cidade. Lançado em Janeiro deste ano o pop mitológico Aquaman (2019) Alcançou a marca de 5.000 ingressos vendidos.

Mas porque o público gosta tanto das produções do MCU, Universo compartilhado Marvel?  “É a narrativa bem amarrada e a possibilidade de ver diversos heróis em ação no mesmo filme”. Revela o estudante Maurílio o Mello, 15 anos, que participa com os amigos de um grupo de Whatsapp sobre o filme e que já garantiu o ingresso da estreia no pré – venda para poder mergulhar  fundo na produção norte americana.

Obviamente que se tratando de cinema americano há sempre um viés ideológico e discurso nas entrelinhas das “narrativas bem amarradas” que vão muito além da exposição de sua bandeira em cenas de maior impacto.

Ao longo dos 21 filmes da primeira, segunda e terceira fase do Universo Marvel, discursos, mitos e crenças antigas foram reformulados e recontados sob um viés ideológico de que os Estados Unidos é o topo do mundo, enquanto outras nações e culturas são periféricas e protegidas por eles.

Um ponto de vista maniqueísta onde a política americana assume o papel de quem define qual é “do mal” ou “do bem”. Algo conveniente aos seus interesses comerciais

Seja como for… O filme “Vingadores : Ultimato”  já é um fenômeno e deve atrair um grande número de teixeirenses para a prática de uma das atividades culturais mais frequentes na história da cidade: ir ao cinema.

Daniel Rocha da Silva*

Daniel Rocha da Silva* Historiador graduado e Pós-graduando em História, Cultura e Sociedade pela UNEB-X.Contato WhatsApp: ( 73) 99811-8769 e-mail: samuithi@hotmail.com

O Conteúdo deste Site não pode ser copiado, reproduzido, publicado no todo ou em partes por outros sites, jornais e revistas sem a expressa autorização do autor.


A fragmentação da sociedade

Por Erivan Santana

O advento da internet aliado ao progresso científico e tecnológico, tem provocado o que os estudiosos das ciências humanas denominam de “visão fragmentária do mundo”.

Cada vez mais, a socialização do conhecimento ocorre de forma fragmentada, acompanhando o ritmo frenético da chamada “pós-modernidade”, que pouco privilegia a reflexão e o exame crítico da realidade.

A televisão despeja imagens e as pessoas “zapeiam” de canal em canal. Nas escolas e universidades, salvo raras exceções, predominam “xerox” de trechos de livros, incluindo os clássicos de nossa literatura, onde se lê essencialmente o essencial, o que se estende também ao restante da sociedade.

As fontes de informação da grande maioria passa a ser apenas as notícias veiculadas em grupos de whatsapp e outras redes sociais, como o facebook, gerando um dos grandes problemas da atualidade: notícias com pouco ou nenhum aprofundamento e as chamadas “fakenews”.

Os pais entregam os filhos para as escolas e acreditam que com isso os estão educando. É rara a família em que existem momentos dedicados à leitura compartilhada, objetivando a formação de futuros leitores.

Por sua vez, os estudantes demonstram uma capacidade reduzida para argumentar com fundamento e quase não têm uma visão histórica ou processual do que está acontecendo, pois, como nos diz Eric Hobsbawm, para eles até a Guerra do Vietnã é pré-histórica, o que evidencia não apenas ignorância do passado, mas também falta de um senso de relação histórica.

Seguindo uma tradição que faz parte da cultura brasileira, os mais velhos são considerados improdutivos e ultrapassados , um peso para os familiares, como se não pudessem mais dizer ou ensinar algo aos mais novos.

É a “pós-modernidade”, dizem, e nela o que importa é o momento e o novo que aparece a todo instante, sem se saber ao certo de onde viemos e para onde estamos indo.

Erivan Santana
Professor, escritor e poeta

Teixeira de Freitas – Manifestações na cidade

Por Daniel Rocha

Centenas de mulheres tomaram a principal avenida da cidade de Teixeira de Freitas, extremo sul da Bahia, na manhã do último sábado, 29/09, para protestar contra o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL). A caminhada findou às 10 horas no lugar de onde partiu, Praça da Prefeitura, às 08hs. 

O movimento “Ele não” começou com um grupo no Facebook e mobilizou diversas mulheres de várias cidades do país que atenderam o chamado e tomaram as ruas de cidades como Teixeira de Freitas onde a passeata organizada pelo Coletivo Feminista das Margaridas ocupou uma das principais avenidas do centro comercial, Avenida Marechal Castelo Branco.

Durante a passagem as palavras “Ele Não” eram vistas em faixas e entoadas pela multidão formada por mulheres e homens de diversos movimentos sociais e estudantes de escolas regulares e das universidades, UFSB e UNEB, que repudiavam,como todos, o candidato pedindo respeito aos direitos das mulheres e das minorias.

Ainda na cidade um grupo de apoiadores ao candidato Jair Bolsonaro ligados ao movimento “Ele sim” realizaram panfletagem em frente ao antigo fórum no mesmo período da manifestação do grupo contrário. O manifesto a favor, “Ele Sim”, também foi convocado pelas redes sociais e reuniu dezenas de militantes e simpatizantes.  Não  há relatos de incidentes registrados.

A diferenciada Rádio Câmara

Por Daniel Rocha

A pouco mais de um ano ar a rádio Câmara de Teixeira de Freitas ( 90,9 FM), Bahia, tem permitido aos ouvintes locais expandir a visão pessoal sobre a política municipal e conhecer mais sobre o trabalho do legislativo.

Estatal gerida pela câmara municipal a emissora é democrática e vem atuando sem o maniqueísmo e o partidarismo que marcou a história de algumas emissoras de rádio da cidade.

A rádio tem possibilitado aos ouvintes à oportunidade de ter acesso a conteúdos locais e nacionais produzidos sob outros olhares e perspectivas, uma vez que quebra um padrão estabelecido e consolidado de programas que faz da prestação de serviços e denúncias, com viés, sua marca mais forte.

Esse padrão tem suas raízes no contexto do início e meados dos anos 1980, quando em volta de dificuldades sociais e estruturais o povoado de Teixeira de Freitas, em processo de emancipação, ganhou a primeira emissora de rádio, a Alvorada AM, em 1983, fundada por grupos empresariais e políticos quando o país experimentava o fim da censura e discutia uma constituinte.

Contexto que fortaleceu todo e qualquer espaço de difusão e manifestação democrática e os que assim se definiam. Padrão não mais observado em alguns programas da Rádio Câmara que segue na contramão do padrão oferecendo programas como “A voz do cidadão” e “Câmara em Debate” , que colaboram, dentre outras coisas, para que o cidadão perceba a influência da ordem política no seu dia a dia. 

Em Junho de 2018, durante as comemorações do primeiro ano da emissora de Brasília a jornalista Alessandra Anselmo, diretora nacional da Rede Legislativa de TV e Rádio Câmara, festejou o 1º ano de existência da Rádio Câmara destacando que a estação é a voz do cidadão e se estabelece a serviço da sociedade e para divulgar os atos do Poder Legislativo que tem uma grade de programação toda diferenciada das emissoras comerciais e que a Rádio Câmara tem a missão de preservar a educação, a cultura, o meio ambiente, a língua portuguesa, a literatura e assegurar as garantias constitucionais do cidadão por meio do seu jornalismo.

Fonte:  www.camaratf.ba.gov.br

 

TEMPO É DINHEIRO

Por Erivan Santana*

O estudo da semântica é um dos campos mais valiosos da Linguística, ciência que a cada dia ganha mais importância nos meios acadêmicos, passando por constante modernização e aperfeiçoamento.

Isto porque o sentido dos signos linguísticos podem ocultar significados muitas vezes imperceptíveis para o leitor mais desatento. Um bom exemplo é a famosa frase “Tempo é dinheiro”, que se analisada com um pouco mais de exame e atenção é carregada de um sentido extremamente político. Quanto a isso, nos alerta o filósofo francês Michel Foucault: “Tudo é político, tudo pode tornar-se politizável”.

Isto posto, observa-se que a frase desumaniza o homem, pois se o tempo é um dos bens que nos são mais preciosos, ele é colocado inteiramente a serviço do interesse econômico, desconsiderando outros interesses da vida em sociedade.

A partir da revolução industrial e do advento do capitalismo moderno, a questão da produtividade – colocada como um bem maior, acima mesmo de outras necessidades humanas, passou a ser regra básica. Uma das maiores críticas já realizadas a esta ideologia, pode ser vista numa das mais notáveis produções da história do cinema, “Tempos Modernos” do genial e inesquecível Charles Chaplin.

Não é de se estranhar que a depressão e outras doenças do mundo moderno cresçam de forma avassaladora, quando os reais valores que hoje se privilegia são a produtividade extremada e o consumismo cada vez mais crescente, o que tem levado a comunidade científica internacional e os ecologistas, a constantes alertas sobre o impacto de tudo isto sobre o meio ambiente e o equilíbrio dos ecossistemas.

O planeta já não suporta níveis tão elevados de extração mineral, vegetal e animal, para atender às demandas crescentes do consumismo em escala global, quando apenas o lucro e o crescimento econômico são levados em consideração.

É chegada a hora de cuidarmos da vida, do homem e da natureza, antes que seja tarde demais, pois a instabilidade e a insegurança são as marcas mais visíveis da “modernidade líquida”, usando termos de Baumam.

*Erivan Santana

Professor, escritor e poeta

Crônica publicada originalmente no jornal A Tarde, Salvador, 5/9/18

Veja também: 

 

O domínio e a influência da TV

Por Daniel Rocha

Já é consenso entre os estudiosos e intelectuais da comunicação o fato de que a mídia de massa, televisão, jornais e alguns sites da internet, tem exercido uma grande influência na formação de opinião da população brasileira e mundial, de modo que no Brasil a TV continua sendo a principal fonte de informação para maioria. Fortemente influenciada por ela.

Mas porque isso acontece? Na minha perspectiva isso ocorre devido à falta de um marco regulatório e o fato de que os meios de comunicação de massa não abordam, dentre outras coisas, pesquisas, estudos e informações sobre os males causados pela sua influência no ambiente macro social e político do país em seus programas e reportagens. Produções enviesadas que estimula a bestialização e a derrubada de governos democraticamente eleitos.

Nesse sentido, a título de ilustração, é possível aprofundar sobre o exposto na reportagem “Mídia brasileira, monopólio e manipulação política” veiculada originalmente no Programa The Listening Post da rede de tv Al Jazeera, que abordou o monopólio da mídia brasileira e as consequências desse acúmulo de poder econômico e midiático para a política e a sociedade brasileira, vídeo disponível no YouTube no canal do Mídia Ninja. Confira!

 

Agentes Comunitários e de Combate às Endemias conquistam reajuste do Piso Nacional

Por Daniel Rocha

No dia 11 de Julho de 2018, o SINDACESB, Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e de Agentes de Combate às Endemias do Extremo Sul da Bahia, esteve em Brasília, atendendo a uma convocação de urgência,  por parte da Confederação nacional da categoria (CONACS).

Assim, pois pode testemunhar o adicionar deste dia para  a lista dos dias históricos na vida dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias que  conseguiram garantir a aprovação do reajuste do Piso Salarial Nacional, aprovado na Câmara e no Senado.

Depois de longos quase cinco (5) anos, lutando incessantemente na Capital Federal, através de nossa CONACS (Confederação Nacional dos ACS’s e ACE’s), os trabalhadores  conquistaram novamente o direito básico de ter o salário atualizado anualmente, como é comum para todos as outras categorias.

“Sabemos quantas dificuldades passamos e quantos esforços fizemos, sejam Financeiros ou Físicos, para hoje alcançarmos nossos objetivos. Sempre com fé, força e muita determinação de todas as nossas lideranças. E mais uma vez, o SINDACESB de forma direta participa e contribui para essas Grandes Conquistas, mostrando que é uma Entidade ativa e que Luta pelos seus filiados ou não filiados, pois esses também são beneficiados com essas conquistas”. Declarou o coordenador geral do SINDACESB, José Felix.

 

A canção não oficial da Copa de 1998 em Teixeira de Freitas

 

Por Daniel Rocha

Quando procuramos ou compramos um Game Play esportivo para jogar a última coisa que pensamos é na trilha sonora, afinal queremos apenas nos divertir. Porém em alguns momentos o tema principal e a trilha ,como o todo, roubam a cena e marca para sempre uma geração, como por exemplo marcou a música Song 02 da banda Blur, do Game Play FIFA Soccer 1998, uma das músicas não oficiais de maior sucesso da história do evento esportivo.

 

Videogame locadora (7)

 

A música é uma das mais lembradas em época de Copa do Mundo pela geração do final dos anos 1990 que perdia tardes inteiras nas badaladas games. Em Teixeira de Freitas a Sport Games que ficava na Av. Getúlio Vargas e que atendia os jovens dos Bairros Bela Vista e Recanto do Lago, chegou a organizar torneios de Winning Eleven 03 em 1998, Copa na França, o mais popular da época, ao som do tema principal da FIFA Soccer a pedido dos jogadores e espectadores hoje saudosos da época e ligados na copa da Rússia 2018 . Nunca ouviu? Confira!

 

Foto: Imagem ilustrativa