Arquivo da tag: cine Brasil Teixeira de Freitas

FILMES QUE MARCARAM ÉPOCA EM TEIXEIRA DE FREITAS: O EXORCISTA

Por Daniel Rocha

Dirigido pelo diretor William Friedkin o filme “O Exorcista” é uma reconhecida produção de terror  de 1973 que causa estranheza em quem assiste, tanto que por onde passou provocou reações estranhas e curiosas. Em Teixeira de Freitas, cidade do extremo sul da Bahia, não foi diferente.

De acordo com o antigo gerente do Cine Brasil, que funcionou até início dos anos de 1990, Jovelino da Costa Rodrigues, mais conhecido como “Figão”, O Exorcista provocou reações e medo na platéia teixeirense que tal como vinha ocorrendo em outras cidades do Brasil não escondeu o medo e graça que sentida.

“O público reagia com comentários, gritos e assovios perturbadores…. Principalmente nas cenas clássicas da adolescente possuída e do vômito,” lembrou Jovelino.

A história do filme começa quando o diabo toma conta do corpo de uma adolescente (Linda) e diante disso sua mãe (Ellen) convoca a ajuda de um padre jesuíta (Von Sydow) para tentar exorcizá-la e salvar sua vida diante do  demônio e dos fenômenos apavorantes.

Ainda de acordo com Jovelino o filme  foi exibido com sucesso por diversas vezes na cidade durante os anos de 1970 e 1980, sempre prestigiados por um grande público formado por adolescentes e adultos.

No passado alguns filmes eram reprisados de acordo o pedido do público que naturalmente escolhia o que melhor agitava seus mitos, visão de mundo, sonhos, desejos e crenças e isso ocorria na cidade onde a fita sempre encontrava audiência.

Por esse motivo o filme americano pode ser considerado um dos que marcaram época na cidade, tanto que em 2001, quando relançado sem cortes, foi exibido com grande sucesso no Cine Teixeira  atraindo a atenção de uma nova geração.

Na ocasião do relançamento internacional  da fita em 2001, a crítica da Revista Veja, Isabela Boscov,  relembrou que quando foi lançado nos Estados Unidos na última semana de 1973, o filme foi recebido desde o primeiro dia com filas que se estendiam por quarteirões e numerosos relatos de crises nervosas durante a projeção.

E que em várias cidades americanas padres e psiquiatras registraram movimentos acima do normal em suas igrejas e consultórios quando o filme  estava em cartaz.

Afirmou também que  no Brasil o mesmo fenômeno se repetiu, embora a maior parte do público reagisse às cenas mais tensas com “risadas e apupos”, como relatou o  Figão ao falar das primeiras exibições na cidade  do filme que marcou uma época.

Fontes :

ROCHA.Daniel; OLIVEIRA.Danilo. Cinema – Contribuição no processo de Formação da Sociedade de Teixeira de Freitas nos anos de 1960, 1970 e 1980.

* Esse texto   teve como fonte a entrevista cedida por Jovelino da Costa Rodrigues em 2009, para o trabalho de pesquisa, monografia, de Daniel Rocha e Danilo Santos de Oliveira.

Revista Veja: 2001, edição, 1689

Veja também:

FILMES QUE MARCARAM ÉPOCA EM TEIXEIRA DE FREITAS : BATMAN – O RETORNO

Daniel Rocha da Silva*

Historiador graduado  e Pós-graduando em História, Cultura e Sociedade pela UNEB-X.

Contato WhatsApp: ( 73) 99811-8769 e-mail: samuithi@hotmail.com

O Conteúdo  deste Site não pode ser copiado, reproduzido, publicado no todo ou em partes por outros sites, jornais e revistas sem a  expressa autorização do autor. Facebook.

Foto : imagem meramente ilustrativa

Ativar as notificações de novas postagens.(Click Aqui)

Filmes que marcaram época em Teixeira de Freitas : Batman – O Retorno

Por Daniel Rocha

O filme Batman – O retorno (EUA), lançado mundialmente em 1992, conquistou uma legião de fãs através  da exibição do filme uma intensa ação promocional dos estúdios Warner Bros em parceria com o refrigerante Pepsi – Cola. A euforia entorno do filme marcou época na cidade de Teixeira de Freitas.

Em Teixeira de Freitas, cidade do extremo sul da Bahia, não foi diferente, com figurinhas dos personagens estampadas  nos seus produtos, refrigerantes, o filme motivou  as crianças a se divertir caçando tampinhas para trocar por brindes na distribuidora local de bebidas.

Na época, em razão, em partes, da  crise econômica e a perda gradual de público, o Cine Brasil, que também funcionava como teatro e casa de show, como a maioria das salas de cinema do interior, ameaçava encerrar as atividades a qualquer momento e complicar ainda mais o frágil panorama cultural da cidade, fato que deixava preocupado os frequentadores. 

Público cada dia mais ausente das salas graças à popularização do  videocassete ou porque, sem dinheiro para ir ao cinema, no caso dos filhos e trabalhadores da classe mais humilde, já  não o frequentava com a mesma intensidade de antes para economizar.

Como parte da campanha promocional os refrigerantes da Pepsi- Cola  passou a trocar tampinhas por brindes na distribuidora local. Na recepção do comércio, mediante a apresentação da quantidade correta, era feita a troca por copos e pôsteres com desenhos dos personagens do filme.

Sem dinheiro para consumir refrigerantes na intensidade exigida pela promoção  algumas crianças formaram grupos de busca de tampinhas descartadas nos bares e trailers que circulavam a Praça principal, Praça da Prefeitura, a fim de reunir a quantidade necessária para ganhar o brinde.

“Assim que juntava uma determinada quantidade eu e um grupo formado por mais quatro colegas partiam em direção à antiga distribuidora Líder, mais conhecida como “Brahma”, para encarar uma fila gigantesca e trocar as tampinhas por pôsteres do filme”.

Revela José Cláudio, 35 anos, capixaba natural de Linhares, filho de madeireiro que migrou para baiana Teixeira de Freitas na década de 1980, que passou a infância no bairro Recanto do Lago até retornar para o estado natal em 2002.

Ele,  que como outras crianças do bairro, meninos entre 10 e 12 anos, buscaram e reuniu tampinhas para trocar por brindes e teve a oportunidade de ir ao cinema conferir o lançamento do filme. Recorda dentre outras coisas que no dia da estreia no cine Brasil a fita atraiu uma multidão de fãs.

“Eu assisti  na matinê, primeira sessão, só que o filme não agradou… Era muito artístico  para época, logo o movimento foi caindo… Apesar da popularidade dos quadrinhos filmes de heróis era coisa só para fãs do gênero ou leitores de revistinhas… Eu era fã por isso fui ao cinema com os meus amigos vizinhos e leitores como eu,” lembrou.

O filme estreou dia 3 de julho de 1992 com 145 cópias em 50 cidades no Brasil, mas é bem provável que não exatamente nessa data em Teixeira de Freitas. “Na região as fitas chegavam tempos depois do lançamento nas capitais”, informou o gerente do cinema Jovelino da Costa, o Figão.

Apesar de não haver dados e nem informações sobre o sucesso ou fracasso do filme na cidade de Teixeira de Freitas é fácil concluir que à exibição do mascarado mais conhecido do mundo não foi suficiente para impedir o fechamento do Cine Brasil em 1993.

Fontes: 

ROCHA. Daniel; OLIVEIRA. Danilo. Cinema – Contribuições no Processo de Formação da Sociedade de Teixeira de Freitas nos anos de 1960, 1970 e 1980. UNEB – Campus X, 2010, Teixeira de Freitas-BA.

KOOPMANS. Padre José. Além do Eucalipto: O papel do Extremo Sul. 2005

Reforço na área de lazer. Revista Regional Sul. Ano I- Nº 02 . Abril de 1992. Teixeira de Freitas – BA

O maior vilão de Batman é Tim Burton. O estado de São Paulo. Caderno 2. 03 de julho de 1992.

Fonte Oral: Conversa informal com José Claudio Nossa. Junho de 2016.

Imagem: Superherois-br.com

Daniel Rocha

Historiador graduado  e Pós-graduando em História, Cultura e Sociedade pela UNEB-X.

E-mail: tirabanha@tirabanha.com.br ou samuithi@hotmail.com

Contatos WhatsApp: (73) 998118769

Facebook

Veja também:

Filmes que marcaram época em Teixeira de Freitas: Titanic

As velhas novas práticas na Rua do Brega

Comidas típicas em Teixeira de Freitas: Parte 03

A trajetória de Aparecido Staut, Padre e ex- prefeito de Teixeira de Freitas

Comidas típicas em Teixeira de Freitas – Farinha com Dendê

Relatos sobre os anos 80 em Teixeira de Freitas: O reisado de Dona Boló

A PRAINHA NO RIO ITANHÉM

O SANEAMENTO BÁSICO NA HISTÓRIA DE TEIXEIRA DE FREITAS: PARTE 04

O Rio Itanhém – Parte 06