Professores e alunos protestam em Teixeira de Freitas

Por Daniel Rocha

Milhares de  estudantes, professores e profissionais da Educação  e manifestantes marcharam em todo o país na ultima quinta-feira (30/05), contra os cortes na educação. Em Teixeira de Freitas, diversas pessoas ocuparam por cerca de três horas a praça da prefeitura e uma das principais avenidas da cidade, Avenida Marechal Castelo Branco, de onde partiram em caminhada pacífica até à Praça da Bíblia. O ato foi encerrado por volta das 19h.

Formado principalmente por professores e alunos das universidades públicas, do município e do estado, a grande massa com cartazes, palavras de ordem e discursos inflamados, expressou na praça preocupação “com os rumos tomados pelo atual presidente Jair Bolsonaro” que através da sua política de cortes vem causando preocupação a professores e estudantes.

“Estamos na rua para mostrar o descontentamento da juventude com as declarações recentes do governo, não vamos aceitar retrocesso, a educação deve continuar para todos”, declarou a universitária Adriana.

Não é a primeira vez que os estudantes se posicionam contra medidas de corte de um governo, em outubro de 2016, por exemplo, alunos da UFSB ocuparam a universidade contra a PEC 241, também chamada de “lei do teto”, “PEC da morte”, entre outras nomeações, apresentada pela equipe econômica do então governo Michel Temer.

A PEC ,que foi aprovada no mesmo ano, limitou despesas com saúde, educação e assistência social e previdência pelos próximos 20 anos. Alunos da UNEB-X, e do instituto federal também realizaram ocupação de seus respectivos endereços.

Para além da pauta nacional, também expressaram os manifestantes descontentamento com a postura do governador Rui Costa e o prefeito da cidade Timóteo Brito que ainda devem ser lembrados nos próximos atos.

Alunos e professores de todo Brasil e de Teixeira de Freitas, prometem retornar às ruas no dia 16 de junho próximo, dessa vez para participar da “Greve Geral contra reforma da previdência” que deve unir diversas categorias contra a proposta apresentada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *