Os evangélicos Teixeirenses : A religião dos migrantes

 
Por (Daniel Rocha)

 Na metade da década de 1950, uma série de transformações econômicas sociais e políticas originaram na fronteira dos municípios de Alcobaça e Caravelas o povoado de Teixeira de Freitas no extremo sul da Bahia.  

Em meados da década de 60, uma onda migratória fez o pequeno povoado formado por famílias negras, já residente das redondezas, em sua maioria católica, crescer de forma continua e assustadora.  

Esses migrantes, vindos de todas as partes do país, trouxeram sua cultura religiosa que, depois de um tempo, conquistaram outros migrantes e moradores do local que também contribuíram para expansão da nova cultura religiosa na futura cidade.  

Constata-se no levantamento realizado pela igreja católica no ano de 1979, seis anos antes da emancipação, que já havia no então povoado de Teixeira de Freitas 13 igrejas evangélicas e 7 católicas. Tais números já evidenciavam a expansão significativa dos protestantes no povoado.  

O contexto no qual acontece esse crescimento está diretamente ligado a expansão do protestantismo no Brasil, que foi favorecido pelos movimentos nacional e internacional pela liberdade de culto e a política conservadora do regime militar.  

De acordo com a historiadora e professora do município, Valdênia Machado, em trabalho monográfico, “A presença dos Batistas no cotidiano urbano da cidade de Teixeira de Freitas no extremo sul da Bahia”, um dos primeiros cultos foi realizado em casas de migrantes batistas recém chegados na década de 1960.  

Dentre esses a da senhora Lelita Rodrigues de Almeida ,77 anos, conhecida pela alcunha Bisa. Natural da cidade de Nova Canaã, ela morou em Ibirapuã – BA antes de migrar com a família de agricultores para o povoado de Teixeira de Freitas em 1963.  

Para Valdênia Machado a pioneira Lelita Rodrigues contou que em Ibirapuã ela era frequente na Igreja, por isso quando obrigada pelas circunstâncias ao povoado a primeira coisa que fez foi procurar por uma representação local, porém não encontrou.  

Juntando forças ela e a família organizaram então reuniões domiciliares para estudo bíblico e pregações, que logo se tornaram referência para os protestantes que, independente da denominação, chegavam ao povoado.  

Além da afirmação de Lelita há uma outra citação sobre as reuniões Batistas feita pelo migrante de Salvador Júlio Bispo, na revista “Nossa História Assembleia de Deus 2011”, que afirma que ao chegar ao povoado em 1964 frequentou cultos batistas antes de realizar “o primeiro culto Assembleiano” em sua residência, em 20 de janeiro de 1965.  

Com relação ao grupo ecumênico, relatou Lelita, as reuniões eram também frequentadas por outros migrantes chegados sendo “Três senhoras adventistas, duas da Assembleia de Deus.” Frequentadores que, supõem-se, em um momento propício fundaram os primeiros templos do povoado.  

A saber : Assembleia de Deus , 1965, da antiga Rua Nova no centro da cidade, que depois da inauguração do templo central no bairro Bela Vista torna-se a Congregação Marquês de Barbacena. Primeira Igreja Batista , 1966. Adventistas, 1970, Presbiteriana, 1977 e a Igreja Luterana, fundada por migrantes capixabas em 1974, dentre outras.  

No próximo texto: depois da fundação das primeiras igrejas para se diferenciar do pluralismo cultural existentes, os evangélicos teixeirenses criaram estratégias para conquistar novos adeptos, firmar tradições e costumes.

 

Fontes: 

MACHADO DA SILVA. Valdênia. A presença dos batistas no cotidiano urbano da cidade de Teixeira de Freitas no extremo sul da Bahia. Uneb campus -X. Teixeira de Freitas, 2010.

ALVES PEREIRA.Jader.Introdução à história dos Batistas no Extremo Sul Baiano. Teixeira de Freitas BA. 2003.

HOOIJ, Frei Elias. Os desbravadores do Extremo sul da Bahia, Belo Horizonte, 2011.

Nossa história Assembléia de Deus. Publicação: Jornal Boas Novas. ED I. Ano 2011.

NASHLA. Dahás.Evangelização à brasileira. Acessado em 01/11/15:.Disponível em:http://www.revistadehistoria.com.br/secao/artigos/evangelizacao-a-brasileira

Histórico  da igreja luterana em Teixeira de Freitas.  Disponível em http://luterana-txdefreitas.blogspot.com.br/

 Assembleia de Deus Bairro Bela Vista década 70. Foto extraida da Revista Nossa história
Assembléia de Deus

 Vejam também:

Mulheres parteiras em Teixeira de Freitas parte 01

Os nomes que Teixeira de Freitas já teve

O cine Horizonte

O comércio de Teixeira de Freitas

História da Expo Agropecuária de Teixeira de Freitas

O causo do Boitatá

História do Cine Brasil

O causo do nó da mortalha

Emancipação: História e memória

*Daniel Rocha

Historiador, Bacharel em Serviço Social, Pós-Graduado em Educação à Distância (EAD), Cinéfilo e blogueiro criador do blog Tirabanha em 2010.

E-mail: tirabanha@tirabanha.com.br
Fone: (73) 98128-7315

Contatos do WhatsApp: (73) 998118769

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *