O LIXO EM TEIXEIRA DE FREITAS: MEIO AMBIENTE E QUALIDADE DE VIDA EM QUESTÃO

 

 

Por Daniel Rocha

Os problemas urbanos como o trânsito, a violência e a produção e destinação do lixo são comuns nas cidades com expressivo desenvolvimento. Nesse sentido, Teixeira de Freitas não se configura, ainda, como uma exceção.

Aqui, a questão do lixo e de resíduos se apresenta como um problema que tem incomodado a população teixeirense.

Andando pela cidade nos últimos dias, foi possível notar que as ruas e os espaços onde passam córregos, já poluídos por esgotos, estão prejudicados pelo excesso de lixo, o que atrai animais indesejáveis com urubus e ratos.

A ocorrência disso se deve a diferentes fatores como: a falta da conscientização da população durante o descarte e a falta de inovação no serviço de coleta que funciona regularmente na zona urbana.

Mas se há coleta regular, o quê está acontecendo?

Para Ailton Agente de Saúde, que concorreu ao cargo de vereador pelo partido ambientalista REDE sustentabilidade, falta consciência e inovação.

Para ele, a primeira coisa a considerar quando se analisa o problema dos resíduos em Teixeira de Freitas ou em qualquer outro lugar é a origem.Nesse sentido, é fundamental saber a quem pertenciam os resíduos antes da sua eliminação.

Segundo Ailton Agente de Saúde, “todas as coisas que usamos e, em seguida, descartamos como, por exemplo, garrafas, caixas, latas de alumínio, etc. são comprados e eliminados por nós. Logo, somos também, por eles, responsáveis.”

Do ponto de vista do ex – candidato do partido ambiental, a solução do problema está na implantação de uma coleta seletiva que funcione de verdade.

Porque tanto o problema do lixo quanto a coleta seletiva só funcionarão se implantados e se cada cidadão(ã) assumir o compromisso de fazê-los.

“ Não é suficiente, apenas, a criação de leis, a aplicação de multas ou, tão somente, colocar lixeiras coloridas nas ruas. Antes de tudo, é preciso pensar além.”

Pensar além, para Ailton Agente de Saúde, é criar regras específicas e conscientizar a população de que é preciso pôr em prática a “lei dos três erres” que se fundamente em Reduzir, Reutilizar e Reciclar.

Aguardamos que na próxima legislatura, o problema do resíduo seja encarado pela população e por todos os legisladores com mais atenção para que, então, deixe de ser um problema ambiental existente em Teixeira de Freitas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *