A Praça da Prefeitura

 

Por Daniel Rocha.

Praça da antiga  prefeitura de Teixeira de Freitas, quantas histórias escondidas? Há tantas em torno deste lugar que dar para escrever um livro. Isso é exatamente o que sente um teixeirense quando passa por ela.

As escadarias da prefeitura, o jardim sempre cuidado, as árvores testemunhas de tantos namoros e os passeios de pedras de mosaico português em forma de ondas pretas ou brancas.

Como não recortar a sorveteria O Pilão, o trailer  Pilequinho, ponto de parada para quem saía das festas e shows, o Gauchão lanches e tantos outros estabelecimentos situados no local, testemunhas dos primeiros porres de muitos.

Também não dar para não lembrar do escurinho perto da Seringueira, quem nunca aproveitou com alguém durante á noite? Esta é apenas um pedaço de tantas histórias marcadas na memória de todos os teixeirenses.

Oficialmente ela é a praça Bernardino Figueiredo, e foi construída aproximadamente em 1974, na administração do prefeito Alcobacense Wilson Alves de Brito cujas iniciais estão gravadas na praça. Antes já servia de lugar de passeio aos namorados e clientes dos bares próximos.

Na década de 1980, a praça reinou na cidade como ponto de encontro, não só dos namorados e crianças, mas também dos artistas mais atuantes da cidade. Como os do grupo Consciência, que promovia no último domingo de cada mês uma feira artística livre no local.

O grupo que também editou um jornal de nome “Opção” realizava shows de talentos musicais e montagens teatrais. Em entrevista ao documentário, Retrospectiva Histórica de Teixeira de Freitas de 1996, um dos integrantes do grupo, o pintor Zuca, lembrou que a feira artística realizada na praça era um dos maiores acontecimentos da cidade.

“O grupo opção começou com um jornal e se reunia todo domingo na praça da prefeitura. Lá era realizada uma feira onde todos os artistas da região eram convidados. O grupo era superinteressante, fazia arte por amor.”

Até o ano de 2008 a praça foi o lugar onde os moradores ficavam à espera da apuração das urnas das eleições municipais e de comemorar as vitórias da seleção brasileira na copa do mundo, recordo da grande multidão em volta da praça depois do final da copa de 2002.

Na atualidade, mesmo não sendo a mais procurado no domingo, o jardim continuam a acolher os cidadãos teixeirenses no sete de setembro. Durante algumas manifestações recentes, como o Vem pra rua, ocorrida no dia 25/03/13, dentre outras, a praça foi o local de encontro dos manifestantes.

Diante de todo o exposto acima, afirmo que a Praça da Prefeitura é um lugar de memória que historicamente serviu a coletividade, por isso todo morador da cidade deve estar atentos á sua conservação e valorização.

Fontes:

BANCO DO NORDESTE, As origens. Teixeira de Freitas, Fortaleza – Ceará. P.05-07, Janeiro 1986

RESTROPECTIVA. Histórica de Teixeira de Freitas. Direção Geral; Alberto de Freitas e Zé da baiana. Suporte: DVD (45 min) Ano: 1996.

Memória pessoal de momentos vividos na Praça da Prefeitura.

Daniel Rocha Historiador, Bacharel em Serviço Social, Pós-Graduado em Educação à Distância (EAD), Cinéfilo e blogueiro criador do blog Tirabanha em 2010.

Foto :1985.

Veja também:

Mulheres parteiras em Teixeira de Freitas parte 01

Os nomes que Teixeira de Freitas já teve

O cine Horizonte

O comércio de Teixeira de Freitas

História da Expo Agropecuária de Teixeira de Freitas

O causo do Boitatá

História do Cine Brasil

O causo do nó da mortalha

Emancipação: História e memória