O Causo do Casamento na Nova América

Por Daniel Rocha.

Como foi descrito no texto anterior, na fazenda Nova América que pertencia a cidade de Alcobaça havia  a capela de São Benedito. Nesta capela de seis e seis meses o padre franciscano Olavo Timmers comparecia para a realização de cerimônias coletivas de casamentos e batizados.

Foi em uma dessas cerimônias que ,na década de 1940, o senhor Isidro Alves conheceu a sua esposa Maria Silva. Ela moradora da fazenda Araras  estava de visita na fazenda Nova América para assistir uma missa com a família quando teve o primeiro contato visual do futuro marido.Conta Isidro:

“Eu a vi de longe, ela morava na fazenda Araras e eu nas proximidades da Nova América. Um dia depois  mandei lembrança por uma amiga dizendo que a achei bonita. Ela me respondeu com malcriação dizendo, defunto que não conheço nem rezo nem ofereço. Mas não desistir, mandei uma carta e fui atrás dela até conquistar o  amor”

Anos depois do primeiro encontro os dois se casaram em uma cerimônia simples realizada por um frei Franciscano. Conta Isidro que na época ouviu diversas histórias de casamentos que não foram concretizados por conta da recusa do padre ,o holandês frei Olavo, em casar pessoas que não estavam de acordo com as leis da igreja, presenciou também uma briga por conta disto na fazenda Nova América .

“Era rigoroso, não casava ninguém que tivesse uma mancha de parentesco, menor de idade ou que já vivia amasiado com outra mulher. Uma vez presenciei uma discussão na fazenda Nova América.. .. havia um pessoal que  queria casar  mas por conta disto não pôde, o padre era bravo e não aceitou.”

Sobre o rigor do franciscano conta Ivanildo Ivo,morador da fazenda nova América, que de fato ele  não gostava de  casar   menores de idade e nem parentes de sangue.

Aproveitei a descontração da visita para infonar que há registros que dão conta que era um costume antigo casar parentes. Diante da afirmação Ivanildo Ivo revelou que na família dele há vários casos de primos casados desde muito tempo.

Se havia primos casados então o frei casava? Ou não casava?

“Ele não gostava mas realizava. Ele sempre dizia vocês têm que casar sua filha com a filha do vizinho, a cuia não pode ser do mesmo pau para a enxada trabalhar. Ele mesmo condenava e ao mesmo tempo abria exceções. Ele também dizia que casando com o vizinho não haveria muitas desavenças por causa de terra na hora do casamento.”

A briga presenciada por Isidro Alves também foi testemunhada por Walfrido Correia e Ivanildo Ivo. Segundo contam o desentendimento começou pela manhã de um dia na década de 1940 quando o frei não quis realizar um dos casamentos marcados para cerimônia coletiva.

Alguém avisou para o frei que o noivo já era amasiado com outra mulher, o frei então pediu para o casal se retirar do altar porque ele não iria celebrar o casamento deles. Após a saída o frei ordenou que as portas fossem fechadas, pois as famílias dos nubentes insistiam ao ponto de não permitir a realização de outros casamentos.

Por conta disso, fora da igreja, os familiares dos noivos começaram uma violenta briga que deixou até feridos, conta Ivanildo Ivo:

“Só que naquela época quando tinha briga o pessoal usava como arma facão e pau, percebendo que tal revolta poderia terminar em um grande massacre, o frei pediu para abrir a porta, pegou o cajado e partiu para o meio da briga.

Devagar, bem devagar foi tomando de um por um os facões e dando ao meu avô José Felix Correia. Era muita gente brigando, os caras vinham para o acertar   mas habilidosamente ele   batia com a madeira tomando suas armas das mãos . Assim  acabou a briga por casamento , fechou a porta da Igreja e deu prosseguimento a cerimônia.”

O franciscano Frei Olavo Timmers deixou o nome registrado no imaginário popular e na história das cidades de Alcobaça e Teixeira de Freitas no extremo sul da Bahia. Ele faleceu no dia 22/04/1990 e sua passagem por essa terra prevalece viva na memória e no coração de muitos moradores da região.

Fontes

HOOIJ, ELIAS. Os Desbravadores do Extremo Sul da Bahia: historia da presença franciscana nessa região – raízes e frutos. Belo Horizonte: Província Santa Cruz, 2011.

KOOPMANS, José. Além do eucalipto: o papel do Extremo Sul. 2. ed. rev. atual. Teixeira de Freitas: Centro de Defesa dos Direitos Humanos, 2005.

THOMPSON, E. P. Costumes em Comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

SAID.Fabio M.História de Alcobaça – Bahia (1772-1958). São Paulo 2010. Edição do Autor.

OFM.ORG – HISTÓRIA: Paróquia de São Bernado.http://www.ofm.org.br/default.  Acessado 22/08/14

Fontes Orais.

Ivanildo Ivo do Nascimento Correia . Agosto de 2014

Isidrio Alves . 2012

Foto: Ilustrativa.

Contribuiu para a realização deste trabalho.

Domingos Cajueiro Correia

Vejam também:

O causo do Batizado

O causo do vinho em Helvécia

Futebol em Teixeira de Freitas: Parte 01.

Memória Estudantil

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *